sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Vibrações de Amor


Aproveitando o gancho do dia das Bruxas, fiz uma imagem com a intenção de espalhar o amor.
Não há nada mais grandioso que o amor, as vibrações de amor...
Desejo então, que o amor, adentre as cabeças de todos, os lares de todos e que permaneça, principalmente nos momentos mais difíceis, nas barreiras que enfrentamos.
Pode parecer meio demagogo, mas, não é...
Não há nada maior que o amor.
"O amor torna tudo brilhante, agradável e vantajoso. O amor é o vaso que contém alegria!" - Madre Teresa

Sacudindo as calças

Hoje eu fiquei pensando na imaturidade e até em uma certa maldade, de pessoas que fazem uso da maledicência, espalhando fofocas, fazendo intrigas, jogando pessoas contra pessoas e tudo mais.
Com isso destroem amizades, desfazem grupos, também afastam pessoas que não se conheciam direito ou mesmo ainda não haviam estreitado laços.
Deixam um rastro de destruição por onde passaram e desaparecem. São os ditos semeadores de discórdia. Não vou dizer que são infelizes, mas, que estão infelizes e acabam sempre vivendo muito sós mesmo no meio da multidão.
Geralmente são pessoas de perfil problemático, queixam-se de nada dar certo em suas vidas, vivem pulando de grupo em grupo e novamente como que num ciclo vicioso, espalhando a destruição.
Conversando com uma pessoa - essa me disse ser carência e deslumbramento. Eu não concordo totalmente. Carentes amam demais e até sufocam pelo excesso de zelo. Já o deslumbrado não admite que ele só teve 15 minutos de fama e quer mais. Fica infeliz quando chega a vez do outro e com isso acaba fazendo cagadas.
Minha intenção não é apontar ninguém, também não sou exemplo de boa menina, nem dona da verdade. Apenas gostaria que algumas pessoas refletissem sobre isso, do qual senti uma grande necessidade de escrever hoje por conta de uma situação vivida.
É preciso cuidar muito com as palavras, elas ficam para sempre. Mesmo que o mal entendido se resolva, as palavras jamais são esquecidas. Tudo aquilo que foi há 5 minutos no seu mundo, já não é mais igual ao “agora”.
Então pensemos muito, mas, muito antes de fazer e falar coisas, para não ficarmos com essa impressão de que fizemos a merda e sacudimos as calças, que é muito feio. Mais honrado seria admitir que errou e do mesmo jeito que quando caímos e nos sujamos, batemos a poeira do jeans e continuamos andando.

domingo, 19 de outubro de 2008

Trocas e Cordas II

Depois do tema "Trocas e Cordas", com o qual compus o post anterior – Necka apresentou-me outros dois artistas com trabalhos maravilhosos. Vale a pena conferir.


Muito louco este instrumento…belíssima composição.


Fantástico! Rola até um instrumento de sopro... hehehehe

Coisa maravilhosa isso! Poder interagir com as pessoas dessa forma. Essas trocas que fazem parte da trama desta corda, com certeza tem fibras bastante resistentes e infindáveis. Fibras que através do conhecimento nos mostram a riqueza do homem através de sua música – o que com certeza o coloca um pouquinho mais perto de Deus.
Obrigada, amiga Necka!

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Trocas e Cordas

Andei pensando hoje em algumas coisas que rolam entre eu e amigos. De como as coisas se encaixam às vezes. Tramas que se entrelaçam e formam uma grande corda.
É sobre e entre cordas o meu papo de hoje que é longo.

Há uns dias atrás a amiga Necka (http://inneckaayala.blogspot.com/) enviou-me uma música da Banda Rusted Root
http://br.youtube.com/watch?v=rDdokE1rAMw (cole no navegador, o vídeo não incorpora).

Pesquisando sobre esta banda eu acabei caindo num vídeo cômico onde um figuraça de cabelos doidos tira a maior palha da banda.

No entanto percebe-se que . Newton Faulkner manja de cordas melhor que ninguém e faz uma sonzeira deliciosa apenas com um violão. Quem toca um instrumento de corda tem a idéia de que o cara não é nada fraco. Pelo que pesquisei faz grandes apresentações cômicas e cover de bandas, sozinho com seu violão.
Esta performance dele num elevador é fantástica.

Mostrando a minha amiga Cláudia, que também fala sobre Faulkner em seu Blog(http://simplesmente-claudia.blogspot.com/) que mostrou a seu filho, chegamos nas cordas que eu queria chegar: Apocalyptica.
Gustavo mostrou a Cláudia o som que esses caras fazem com seus violoncelos. Só cordas, simplesmente fantástico.
Olhem o que eles fazem com Nothing Else Matters do Metálica.

No youtube existem outros trabalhos deles, belíssimos!

Chegamos então finalmente onde eu queria, dessa minha vã filosofia. Nossas trocas formam uma grande corda. Necka que passou para Mara, Mara que passou para Cláudia, Cláudia que passou a Gustavo, Gustavo que passou a Cláudia, Cláudia que passou novamente a Mara, Mara que passará para Necka e com certeza essa trama não acabará por aqui. Cada um de nós faz parte dessa grande trama, essa corda que pode vir a ser imensa e, que bela ela é juntando nossa preferência musical, que não é fraca, nem um pouco.

terça-feira, 14 de outubro de 2008

Somos Reais

No fim de semana passado, fui a Curitiba encontrar com amigos. Fazemos parte de uma comunidade Espírita que foi invadida por fakes. No fim da coisa toda, até nós mesmos passamos a pensar que somos fakes...ehehehe

video

Conhecer esta simpatia de pessoa foi tudo de bom. Ivair, não pude deixar de registrar e postar este sorriso lindo e expontâneo que você tem


Um close da minha maninha amada,não poderia faltar.


Uma foto para a posteridade, é de praxe.

Depois deste momento, seguimos para um longo papo madrugada a dentro, no qual demos muitas risadas.
Sandrinha, a entidade em pessoa, infelismente não pôde estar conosco por conta de seus compromissos, mas, veio me dar um abraço no domingo com um presente delicioso: apfel Strudel e seus deliciosos Alfajores. Hummm...delícia, Sandrinha ;)


Não há nada melhor no mundo, que estarmos com as pessoas que amamos.

sábado, 4 de outubro de 2008

Muitcho louco

Chove à cântaros no norte de Santa e dia de chuva inspira coisas loucas. Coisa louca eu acho este vídeo, que vejo sempre e me divirto muito.
O amigo Tubbs, faz parte dessa galera que faz uns trabalhos de vídeo muito interessantes, eu recomendo uma voltinha na página do Youtube, dessa galera.
Deixo aqui, o meu preferido, no momento.

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

O coração, vai muito bem, obrigada!

Algumas pessoas tem vindo me visitar e dirigindo-se a mim como se eu tivesse tido um enfarte.
Para que não haja mais disse-me-disses, à cerca da minha saúde e como cuido dela, resolvi hoje esclarecer o que vem ocorrendo.
Há duas semanas eu tive um mal súbito no meio da madrugada, uma taquicardia muito forte e “EU” fiquei com receio de estar tendo um enfarte. Achei melhor então ir ao Pronto Socorro, do Hospital São José, que é ao lado da minha casa.
Lá fui medicada com calmantes, pois, estava muito ansiosa e com os batimentos muito acelerados. Depois de algumas horas em observação, fui liberada, sem nada ter sido constatado, uma vez que aquilo foi apenas um pronto atendimento, para aliviar o quadro em que me encontrava. Se tivesse sido grave, teriam me deixado internada, certo? A recomendação do médico que me atendeu, por sinal, extremamente gentil e atencioso, foi que eu procurasse o meu cardiologista e fizesse meus exames de rotina, como já venho fazendo desde o início do ano passado (2007).
Após a consulta com o cardiologista e alguns exames, constatou-se que eu sou muito ansiosa, a ponto do meu coração não relaxar e com isso ele às vezes dá uma louca e dispara. Tal sintoma está relacionado com a falta de exercícios, obesidade e o lado emocional.
Quem me conhece sabe que eu aparento ser calma, sossegada até demais, e assim eu pensava também, mas, não. Sem muita ambição, sou uma pessoa que vai conforme a onda e me adapto a qualquer tipo de situação. Se tem dinheiro vivo bem, se não tem, também vivo bem. Vivo um dia de cada vez e não fico encasquetando coisas ruins que passaram. A verdade é que as coisas andam sossegadas demais ultimamente e talvez essa situação tenha me deixado um tanto ansiosa. Ocasionando assim esses “pitis” de uma hora para a outra, sem aviso algum.
Entendi o ocorrido como um aviso, para eu cuidar mais da minha saúde, parar de fumar e limitar o álcool, em apenas algumas cervejinhas e no fim de semana. Não bebo outra bebida, mas, às vezes me excedia na cerveja, sim. Isso tudo são fatores que alteram o meu estado emocional e com isso ocasionando esses “surtos” malucos.
Porém, quem convive comigo, sabe também que eu sou extremamente cuidadosa com a alimentação, tenho pavor de sal e gordura e procuro me alimentar da melhor maneira possível, comendo muitos vegetais, folhas, arroz integral e raramente carne vermelha.
Ao contrário do que alguns pensam, que eu passo o dia inteiro na frente do computador, saibam que eu tenho muitas atividades em casa, fora dele. Cuido eu mesma da minha casa, de mantê-la limpa e está sempre limpa. Tenho um filho homem, adulto, do qual cuido de suas roupas e calçados e ainda faço questão de fazer sempre um jantarzinho bem gostoso, quando ele chega no fim da tarde. Todos os dias eu estou incumbida de fazer o almoço na casa do meus pais, que é no andar de cima da minha casa, o que me faz subir e descer escadas o tempo todo. Vivo fazendo trabalhos manuais, volta e meia eu mesma pinto toda a minha casa, estou sempre inventando algo. Portanto, esta idéia de que eu fico sentada na frente do computador o dia inteiro e atribuir a isso o que vem ocorrendo é errônea.
Não tenho mais saído na noite, aqui na cidade, por que não me sinto mais a vontade como foi há um tempo atrás. Já não tenho mais saco para aquelas pessoas cocôs que vivem na night, de aparências e tudo que vem junto com a noite.
Todos os fins de semana, se não vou à praia ou a outra cidade, encontrar com amigos, a minha casa fica cheia e quem comanda e dá conta do recado depois que a manada sai, sou euzinha mesma. Ainda faço questão de recebê-los muito bem, servindo altos rangos, que nisso não sou nem um pouco modesta ao dizer: cozinho bem e gosto de boas coisas e comidas requintadas. Quem aqui vem, cansou de ver isso.
Posso até não sair malhando, mas, todos os meus afazeres fora de casa faço a pé e ao contrário do que pensam, de que sou parada, sou super ativa e não peço para fazerem nada, sou eu que faço tudo.
Com tudo isso, ainda sobra tempo para fazer coisas na internet, para conversar com amigos, para trabalhar com imagens que eu gosto tanto, criar coisas muito malucas e ainda estudar a doutrina espírita.
Meu grande problema é que a minha cabeça pensa mil coisas ao mesmo tempo, sou dotada de uma mente muito criativa e queria que os dias tivessem 48 para eu fazer tudo o que quero. Talvez esteja ai o “x” da questão toda, coisa muito íntima minha e que ninguém sabe.
Coisa íntima também é a minha intimidade sexual, pessoal e emocional. Todos sabem que sou eu por eu mesma, tenho aprendido a conviver com isso e não tenho achado ruim. Sou livre para fazer o que quero, não vou dizer que um “macho” não faz falta, mas, não tenho isso como prioridade na minha vida no momento. No tempo certo as coisas que tiverem que acontecer, acontecerão, isto depende diretamente de mim e não das conclusões dos outros, sobre o que tenho ou não que fazer. Na hora de trocar o óleo eu sei bem onde fazê-lo...tenham certeza disso.
Encontro-me numa fase mais espiritualizada, o que é difícil para algumas pessoas entenderem, mas, elas precisam entender que a vida é feita de escolhas e não de imposições ditadas por regras sociais.
No mais, vou cuidando da minha vida aqui, por que procuro qualidade de vida e isso dependerá somente de mim.
Meus quilos a mais nunca foram obstáculos para nada, e cá pra nós, há quem me ache gostosa mesmo assim...kkkkkkkk. Preciso sim, perder peso para melhorar a minha condição geral, estou cuidando disso, mas, é para mim, para o meu bem estar e não por conta de uma sociedade estereotipada que discrimina e fica tirando conclusões erradas.
A culpa é minha mesmo, por que sou um livro aberto e isso dá vazão para comentários toscos. O meu livro é aberto, mas, os capítulos sou sempre eu que escrevo e surpreender é uma das minhas principais características.
Me aguardem!