quinta-feira, 30 de abril de 2009

Doce Deleite. Meia ou inteira?

No domingo, dia 26 de abril fui ver a peça Doce Deleite. Amei, ri muito, fiquei encantada com o trabalho de Reynaldo Gianechini e Camila Morgado.
O início da peça aborda um assunto que vou discutir aqui, que é a questão de pagar meia ou inteira no teatro e os convidados.
Aqui na minha cidade a idéia é popularizar o teatro, só que vai ser bem difícil isso acontecer com os valores dos ingressos cobrados.
Por ocasião da vinda de outra peça com atores "globais" já discutiamos sobre a falta de patrocínio, valores que não correspondem a realidade do povo, sendo assim, praticamente inviável essa popularização que se almeja.
Quem paga meia? Estudantes, idosos e portadores de deficiências físicas, certo? Só que os estudantes que eu vi em Doce Deleite, em sua grande maioria eram pessoas que estão colocadas no mercado de trabalho, tem renda, são aquelas pessoas que depois de curtidas resolveram fazer uma faculdade para sua própria realização pessoal, com raras exceções. Nada contra isso, mas, contra este tipo de estudante pagar meia entrada. Sempre entendi que o estudante(que paga meia) é aquele que ainda depende dos recursos da família ou de bolsas para estudar, mas tudo bem, vá lá, tá?
Que tipo de idosos eram aqueles que estavam lá na peça? Todos são empresários, administradores e pessoas de posses. Vi todos lá, vi o fulano de tal, o cicrano de tal, o beltrano de tal, só gente que tem muita grana, muita mesmo. Portadores de deficiências não vi nenhum.
O ator faz menção no início da peça a essas meia-entradas, comentando: -puxa como vocês gostam de teatro, hein? E essa para mim, foi na vêia. A platéia riu, eu também, mas, sarcasticamente em homenagem a todo aquele povo de grana que lá estava pagando meia. Ainda lembro da cara da "fulana de tal" logo a minha frente, que lançou um olhar de vergonha a colega "beltrana de tal" que estava ao lado. Lembro também da que estava atrás de mim e o comentário que fez: - pena que eu não posso rir. - É verdade, eu também, não podia, paguei inteira.
Não me entendam mal nessas colocações.O que quero dizer aqui, não é por inveja por não poder fazer isso, não é revolta, mas, simplesmente uma análise lógica do por que as coisas não se realizam conforme os sonhos. Ora pois, se estes todos que pagaram meia entrada, pagassem inteira, iria baixar o valor do todos os ingressos e aí sim ter uma chance de popularizar o teatro. 60,00 reais uma inteira, não é barato num país onde as pessoas são tão mal remuneradas. Desde quando o "povo" realmente poderá pisar no teatro desta forma? Só quando há eventos da administração pública ou mesmo do empresariado, mas aí ficamos a mercê de discursos demagógicos com fins eleitoreiros e tudo mais. Nada contra também, no entanto, se mudasse essa sistemática toda de cobranças, todos pagaríamos bem mais barato para ver uma peça deste nível e então quem sabe assim levar ao teatro pessoas que não tem tantas posses e popularizar realmente.
É claro que isto é lei, mas, neste país até esse tipo de lei é furada.
Quanto aos convidados, ai sim me revolta pois fica impossível no teatro aqui na minha cidade você conseguir um lugar, mesmo se quisesse pagar o dobro, da quinta fila para frente ou mais até, dependendo da fama do evento.Você paga inteira e fica na bunda do teatro. Mas olhaaaaa, não teve uma peça, show, nada até hoje, que mesmo eu comprando o ingresso antecipado conseguisse sentar da metade para frente. Que coisa hein? Se você for comprar ingressos, dá uma olhada no mapa da platéia, tem reservado pra lá, pra cá, borori e bororó. Como faz para reservar, será, hein? Vou ficar ligada da próxima vez...
E os patrocinadores que querem ingresso de graça? Isso é uma coisa que quem trabalha com a produção conhece. O cara patrocina um pau e quer 10 ingressos..kkkkkk, chega a ser ridículo.
Bem, não quero com isso dizer que achei injusto o valor cobrado para ver tão boa peça eu pagaria até bem mais. Quando se gosta realmente não se mede o bolso e eu já fiz dessa loucuras sem arrependimento algum. Só acho injusto tanta gente abonada se prevalecer para economizar algumas quirelinhas.
E ai? O que acham? É meia ou inteira?
Todo o prazer só é prazer realmente quando ele é por inteiro. É uma analogia meio tosca...hahahaha, mas é a minha.
Larguem de ser mãos-de-vaca, carcamanos, o prazer não tem preço! 60 paus, a metade do valor do sapatinho básico que você compra para bater pernas na rua, madame! Você compra, usa e joga fora. O teatro, as imagens, o prazer, ficam gravados na sua alma para o resto da vida.
Acharam que eu ia contar da peça é? Demora! Isso é só para quem se dá ao prazer de gastar por prazer.
É inteira sim, com prazer! Doce Deleite é um prazer! O teatro é um prazer!

quarta-feira, 29 de abril de 2009

A Melhor Vida

Quantas e quantas vezes dizes que a vida não te corresponde às expectativas e esforços.
Quantas vezes tu tens estabelecido padrões de comparação tão superficiais, que te causam dores desnecessárias.
Por que não te contentam as abençoadas oportunidades que surgem, trazendo-te boas chances de aprender?
Por que julgas ser vítima de injustiças? E por que dependes tuas forças para conquistar bens que nada te acrescentarão?
Por que cansas a alma com tanta freqüência e não consegues estabelecer momentos com Deus?
Podes não acreditar, mas tens a melhor vida e estás no teu melhor momento.
Esta vida traz consigo tudo que a tua alma está capacitada para administrar e todas as lições que já foste capaz de aprender. Estás situado no lugar correto, na família que te é abençoado educandário. Nunca, sequer um dia, esqueceste de que estás de passagem na cena da vida física.
Mas te esqueces da fatalidade da eternidade e desperdiças instantes preciosos que se sucedem pela sabedoria de Deus.
E agora... Agora tu vives o melhor momento.
Não deixes partir de tuas mãos sem glorificar a bondade de Pai e torna-lo coroa de luz na vida. Se não é a que desejas, mesmo assim poderá ser a melhor que tivestes, de que aproveites as abençoadas oportunidades de te tornares melhor.


Eu recomendo este livro de mensagens edificantes que ganhei de presente no Natal da amiga Suzi ;)

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Uma volta no Grant

Fiz um vídeo andando lá pelo Grant, com a idéia de passar exatamente como é o lugar. Sempre falo do meu paraíso, mas, nunca mostrei a coisa na real exatamente.O vento interfero bastante no áudio, mas eu preferi deixar assim com o áudio própria que gravei para que ficasse mais real.
Ai está, divirtam-se! video

quinta-feira, 23 de abril de 2009

Não é só macaco que gosta de banana

No domingo a noite, vi que algo movimentava-se na árvore ao lado da sacada e recebi a visita deste simpático gambazinho.
Eu havia colocado uma banana com a intenção de fotografar algum pássaro. Ali é bem comum pousar tirivas e saíras de 7 cores. O dia se foi e eu acabei esquecendo da banana.
No primeiro instante levei um susto e ao acender mais uma luz para melhorar a iluminação, o bichinho se mandou, mas, deu tempo de fazer umas imagens dele.
Não arrisquei a aproximar-me muito para não acabar saindo fedida como um gambá, pois quando sente-se ameaçado por outros animais solta um cheiro terrível, para afugentá-los. Já imaginaram eu tendo que aguentar por dias o cheiro do danado?
Nunca sentiram o cheiro do bichinho? Quando criança eu lembro de termos pego um e minha mãe passou dias lavando nossos cabelos com o que encontrava pela frente para tirar o cheiro...ehehehe.

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Com carinho para os carinhos

Hoje meu post é para retribuir o carinho dos amigos no meu aniversário.
Ele se fez de todas as formas. Através de frases, pensamentos, telefonemas, mensagens, felicitações e presentes.Na verdade esse carinho vem sendo expresso pelos que me cercam há longo tempo e não só por ocasião do meu aniversário, mas, através daquilo que nos é visível ele se materializa.
Por isso fiz uma foto, para encher os olhos, através das coisas lindas, gostosas, perfumadas e deliciosas que ganhei.
Vou passar o ano todo bem perfumada, linda, acolhida e acarinhada, tenham certeza...ehehehe
Juntando as vibrações de amor que todos me enviaram, só me resta agradecer a Deus, tudo isso. Isso também faz eu ser a Mara que sou, as vezes meio impaciente, as vezes um tanto incisiva na expressão, intensa, teatral, barulhenta, mas, acima de tudo, feliz! Feliz por que tenho amigos que me amam e disso eu nunca tive dúvidas.


Como se já não bastasse tudo isso, tive uma surpresa deliciosa na segunda-feira após a Páscoa. Um encomenda chegava pelo correio, da minha querida e doce Ana (SP). O carinho que veio de longe, de forma deliciosa que expressa exatamente o que é o carinho que eu sinto por todos que me cercam.


Aninha!
Comi cada pedacinho desde bolo maravilhoso, não reparti com ninguém, ele foi todo meu e não por egoísmo, simplesmente por que foi feito para mim e cada pedacinho dele foram porções de carinho que eu degluti... heheheh. O ovo, até estou deixando o Mano aqui comer, mas, o bolo foi todo meu.
Obrigada querida, todo aquele carinho que você sempre expressou em suas palavras de boa noite, de bom dia e todas as outras mensagens, materializaram-se através do seu presente doce e delicioso, bem como você realmente é.

A todos os meus amigos que me presentearam com palavras, mensagens, carinhos, videos, cartões, beijos e vibrações, aceitem meu agradecimento com muito carinho, com um beijo enorme em seus corações.
Eu sou muito feliz por ter vocês comigo!

terça-feira, 7 de abril de 2009

Festa Cigana

No dia 04 de abril comemorei o meu aniversário que foi na verdade no dia 03 de abril. Fiz uma festa cigana para os meus amigos com direito a tudo que uma festa dessas pode ter.
Deixo aqui um video em agradecimento aos amigos que compareceram e também para aqueles que tiveram a intenção de ir mas não puderam.
Aqueles que não foram simplesmente entraram no meu caderninho negro...ehehehe...
Tudo bem, tudo bem, só que deixaram de compartilhar comigo toda a energia do momento.

quarta-feira, 1 de abril de 2009

Pensa que é gente



Todos os dias quando acordo, chamo nosso menino para participar do meu café da manhã. Primeiro ele faz a vistoria na casa, tira o travesseiro do Marcus da cama, dá uma espiada pela janela para ver se está tudo em ordem no lado de fora de casa. Depois um pulo bem alto e sente-se o dono da minha cama, ignoro pois ele se encarna com minha almofada e pensa que ela é fêmea. Enquanto faço meu café ele marca o território numa cadeira da cozinha. Já briguei, já enfiei o nariz dentro, já usei produtos anti xixi, não tem jeito. Sento aqui no pc com meu pãozinho e café, ele faz sua parte pedindo um cadinho e ganha. Depois senta no sofá, me olha com olhar apaixonado, fixo, dentro do meu olho. Quando cansa deita e dorme feito a imagem. Deita exatamente como eu deito neste cantinho quando quero tirar minha sonequinha fora de hora. Só falta falar mesmo... O Nino pensa que é gente.