quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Tribusana 30-12-09

Passando em casa para organizar algumas coisas antes da viagem do meu filho, resolvemos voltar para a casa de praia só no dia 31 por que o fervo lá está uma coisa de louco. É povo para tudo que é lado, filas de gente, fila de carro, fila até para tomar banho de mar.
O calor que tem feito é insuportável, no estado inteiro e depois de um dia tão quente só poderia resultar numa baita trovoada.
Gravei alguma coisa pois fiquei abismada com a intensidade do vento. Desde que eu vivo aqui nesta casa eu nunca vi algo do tipo.
O vento foi tão forte que chegou a arrancar uma calha da casa.





sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

Feliz Natal!!



Deixo aqui meu FELIZ NATAL à todos que me seguem,à todos que passam, aos que bisbilhotam, as que fuçam, aos que tudo.
Na correria total de fim de ano, muito de bem com a vida, desejo festas cheias de amor e paz a todos os seus.
Que esses dias sejam de encontros e reencontros de amigos e familiares e que a paz reine no coração de cada um.
Peço desculpas aos que eventualmente eu me fiz ausente mas minha vida nos últimos dias tem sido um tanto tumualda com mudanças que surgiram, mudanças boas claro. As ruins serviram para refletir algumas atitudes impensadas e vamos embora de 2009 deixando todas as urucubacas para trás. Que elas sirvam de lição para fazer tudo melhor em 2010.
Despeço-me para um retiro da internet por alguns dias.
Sintam-se todos beijados com carinho.

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

E Eu Continuo Correndo Atrás do Tempo

Ontem ouvi um comentário de um neurologista de como a modernidade escraviza o homem. Não estou reclamando necessariamente das minha atividades, mas observando como com o passar do tempo vamos acumulando coisas para fazer.
Antigamente as pessoas acordavam com o galo cantando e dormiam com o cair da noite. Comiam coisas mais saudáveis e exercitavam mais o corpo com as atividades físicas de suas tarefas diárias,tudo era tão mecânico...
Hoje tudo é digital, tudo é mais fácil, só que nem por isso descansamos mais, e sim temos mais atividade mental. Essa atividade mental exagerada tem deixado o homem de hoje estressado, depressivo, com distúrbios de sono e doente.
Muitas coisas fazemos de forma obsessiva, correndo contra o tempo e o mais engraçado disso é que apesar da ciência hoje, através da medicina dar uma “sobrevida” maior ao homem, estamos nos matando com isso tudo.
Eu ando correndo atrás do tempo com as coisas que arrumo para fazer, gosto de me ocupar e não paro desde a hora que acordo até a hora de dormir.
Claro que muitas das minhas atividades se comparadas com as de outros provocariam risadas em muitos, afinal, não é serviço braçal nem tem vínculo empregatício, está mais ligado a minha satisfação pessoal, mas não deixa de exercitar o meu cérebro e ocupar totalmente o meu tempo, a ponto de me obrigar a dormir em certos horários para recuperar as energias.
Com isso o ano está se indo, não fiz exatamente tudo o que queria fazer este ano, mas grande parte do que me propus eu cumpri.
Talvez eu tenha ficado em falta com alguns amigos por que me afastei um pouco para dar conta das minhas coisas . Talvez eu tenha parecido indiferente com outros ao declinar de convites e privá-los da minha constante alegria e bom humor, mas eu realmente entrei em 2009 para cuidar mais de mim. Ele se vai e eu ainda não fiz tudo o que eu queria... hehehehe, mas faz parte, sempre se deixa uma tarefa para o dia seguinte e uma das regras para não se estressar é: Não é preciso fazer hoje o que você pode fazer amanhã.
É um pouco nessa filosofia que a minha vida tem seguido e por isso eu também ando um pouco ausente por aqui.
É óbvio que parte do meu tempo gasto é também para observar as boas coisas que a vida me dá e entre elas não posso deixar de destacar que o Natal já chegou em meu quintal.



sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

´É pois é... então...

Anduuuuuuu, meio desligaduuuu, eu nem sinto, meus pés no chãoooo...
Já diz a letra da música o que venho sentindo, mas não é negativo, estou numa fase ótima.
Não briguei com ninguém, não cortei contato com ninguém, apenas estou numa fase mais “in”, mas não é negativo.
Já numa vez, ao usar a frase inicial do texto, alguém pediu que eu verificasse minha glicose que poderia estar perdendo peso muito rápido e com isso me sentir assim... Hahaha... nada a ver, foi apenas uma maneira de dizer que eu estou na minha.
Uma coisa é certa, eu não perco mais tempo com coisas que não me dão prazer ou que me aborrecem. Tem aquelas coisas que aborrecem, mas que somos obrigados a fazer, só que em relação aos amigos eu não gosto de me sentir obrigada a nada. Gosto de ter liberdade de procurar quando quero e também de dar uma sumida quando me dá vontade.
Outra coisa que é certa é que não tenho mais saco para aturar alfinetadas. Ainda quando é gente do nosso convívio, da vida real onde há uma troca, até se entende as alfinetadas. Agora, no virtual ficar agüentando inveja de broaca de mal com a vida? Ninguém merece!!!
É provável que muitos não entenderão as colocações, mas quem aqui acompanha, me conhece e sabe por onde ando, sabe ao que me refiro.
Eu lá tenho culpa de brilhar? Se da minha personalidade é normal que eu me destaque, pela maneira de ser que tenho, pelo meu alto astral e um certo sarcasmo exacerbado que tenho em algumas colocações? Me perdoe mas até de mau humor eu uso do bom humor...ehehe... que me entenda quem me entende.
Estou numa fase ótima, cuidando de mim, do meu corpo, das minhas coisas. As tarefas que eu assumo tem me absorvido bastante fora da internet e isso faz de mim uma pessoa feliz por que tenho me ocupado muito. As vezes até eu acordo no dia querendo fazer 1000 coisas e o dia passou e eu não fiz nem 100 delas. Não acordo um dia sem pensar em tantas coisas que eu quero e tenho que fazer, me ocupo 24 horas por dia. É claro que pelo menos umas 7 delas são dormindo. Meu espírito precisa disso e também a minha cútis exige.
Mas deixo então notícias minhas: eu vou muito bem... muito mesmo... agora findo aqui este texto que estou ficando com dor de barriga e como ser humano normal vou me concentrar nessa atividade fisiologia também tão prazeirosa.
Hehehehe

domingo, 22 de novembro de 2009

Festa das Bruxas


Tudo com atraso mas sempre compartilhando bons momentos.
A festa das bruxas na chácara, da galera da sede, foi tudo de bom.
Tirando a noite que estava insuportável de quente, deixando a gente numa certa letargia, o lugar não podia ser mais apropriado. Em local alto da região, foi um alívio o ar fresco que a noite trouxe na chácara, por que aqui no centro do cidade parecia estarmos numa sáuna.
É sempre bom encontrar os amigos com quem compartilhamos o lazer e temos uma certa cumplicidade, é como estar em casa, à vontade.
Valeu à galera, mais uma festa legal.
Detalhe interessante era o Spézia vestido de Jason e equipado com uma moto-serra, que causava pânico na galera cada vez que ele a ligava. Só precisa ser menos "mão-de-vaca" e abastecer a máquina, que sem gasolina ela não funciona...kkkkkkk, mas deu para termos uma idéia no começo da festa.
Soube de gente que passou muito mal, mas auto lá, não foi de porre, foi de calor mesmo. A noite não podia ser mais propícia pois o calor foi uma coisa assustadora. 35 graus de temperatura no meio da noite é coisa para desencarnar.

sábado, 21 de novembro de 2009

Devendo muitas

para a galera que acompanha o meu blog. Ando com tantas coisas para fazer fora da internet que aqui as coisas andam atrasadas realmente.
Vou aproveitar este fim de semana para botar em dia tudo que tenho por aqui, que tem bastante material.
Vou começando lá pelo início de novembro, quando passei uns dias no meu paraíso e fui brindada com dias maravilhosos, vide fotos abaixo.


Uma das manhãs veio com uma luz ofuscante, fiz questão de fazer uma contra-luz para que pudessem ver a maravilha que foi o começo deste dia.
O anoitecer não deixou por menos, o céu pintou-se de rosa e azul, simplesmente espetacular.


O bom astral desses dias maravilhosos completou-se com o convite para uma paeja na casa de meus amigos Magoo e Solange. Melhor impossível! Além da delícia do prato, com certeza a companhia de todos da casa.
Valeu Magoo e Sula, estar com vocês é sempre todo de bom, em todos os aspectos.
Abaixo o vídeo do momento para deixar todos com água na boca...ehehehe

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Tá a fim?

De jogar Farmville comigo? Entra no facebook e me adiciona para sermos vizinhos.
http://www.facebook.com/home.php?ref=home#/profile.php?id=100000176603167

Famville é muito gostoso, você vai montando sua fazenda, passando de fases, ganhando presente dos amigos. Planta, colhe, ganha pontos e coins ($) para comprar mais.

Algumas fotos da minha fazenda ;)

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Parceria


Depois de 10 dias de folia ficam as imagens e as lembranças.
A festa acabou mas o elo de amizade fica para sempre. Nunca se esquece alguns dias felizes...hehehehe.
Não querendo dispensar ninguém do meu meio social, mas sendo obrigada a registrar aqueles que por mais tempo partilharam os bons momentos, que foram companheiros, que beberam e festaram juntos, que riram, que choraram, que foram parceiros.
Tem a alegria por parte de amigos que sempre estão juntos, como meu fiel parceiro Zeca. Parceiro para tudo... Das horas felizes, das horas tristes,do empenho,solícito até embaixo de muita chuva...ehehehe, enfim, parceiro para tudo.
Fica um eco de gargalhadas, frases como Iets guets loss e cheiro de chopp.
Tem também o retorno de gente que esteve ausente por um tempo por conta dos percalços da vida que todos passamos, mas que a vida sempre traz de volta, ai fica aquela impressão que na verdade nunca foi para longe, por que faz parte da mesma família. Como parente que a gente as vezes fica tempo sem ver, mas quando vê parece que foi ontem e as lembranças das coisas vividas num passado recente confirmam este laço, né Dani?
E tem a volta de quem atravessa o grande oceano, que representa uma época que eu fervi pelas Schützens da vida, quando me desfiz de elos apertados e agoniantes...hehehe. Diego é símbolo de uma época em que aprendi a voar novamente, lá pelos idos de 91. As asas já se quebraram, já se recuperaram, andam estropiadas, mas elas ainda voam.
Poderia relacionar outros que fizeram parte e junto estiveram, mas estes 3 representaram muito para mim este ano. É interessante como a vida coloca as pessoas na vida da gente as vezes. Percebe-se que ela tem ciclos, mas aqueles que representam realmente vão e voltam. Alguns nunca saem, só mudam os ciclos e claro, as nossas caras com o passar dos anos, mas a essência é a mesma.

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Só festerê IV

Banda Dreirad na Schützenfest, dia 11 de outubro de 2009
Ótima banda, músicos interessantes, muita folia com a galera e claro, como sempre, muito chopp.

Só festerê III

Fim da noite na Schützenfest, dia 09 de outubro de 2009.
Só esporro com o amigo Zeca e Diego.
Muito alegria, boas risadas e muito chopp.

Só festerê II

Show do Zé Ramalho dia 08 de outubro de 2009 na Schützenfest.
Acabei parando na área vip e tive um momento privilegiado. Ver este artista foi um grande presente. O show foi realmente fantástico!
Deixo aqui um vídeo para comprovarem isso.

Só festerê I

Ando sumida por aqui, não é mesmo? Fazendo um montão de coisas, estudando, lendo muito, brincando no facebook e fazendo festa, é claro.
Resolvi então compartilhar alguns desses momentos.

Festa dos Anos 70/80/90


Clique na imagem para ver melhor.

Não fiz muitas fotos, mais curti do que fiz fotos, mas já dá para ter uma idéia da festa.
Tinha até kombi e chevette, a galera entrou mesmo no clima da festa.
Nosso amigo Riva que se safou de ter um vídeo publicado aqui pela falta de iluminação no vídeo, o cara deu maior show a noite inteira (último da foto). Encarnou um verdadeiro dançarino, não tinha para ninguém só deu ele.
A festa aconteceu na chácara de Vini e Eve e promete outras.
Valeu galera! Foi tudo de bom!

sábado, 12 de setembro de 2009

A Festa das Abelhas

É público e notório aos que me conhecem o carinho que eu tenho pelas coisas da natureza. Adoro observar e me sinto privilegiada por algumas oportunidades que a vida me dá neste sentido. Sei de pessoas que diriam: ah Mara, que viagem, o que tem de mais nisso? Eu vejo tudo de bom. Vejo um mundo natural produtivo, vejo sentido de comunidade, de trabalho, de fertilidade, uma natureza pródiga com cada ser do seu habitat cumprindo seu papel.
Hoje quando acordei, abri a janela do meu quarto e senti um cheiro forte de perfume de flor. Pensei na hora: alguma flor no jardim esta exalando o seu perfume, mas não havia lembrado deste fenômeno que acontece só uma vez no ano, um cipreste do meu jardim floresce as abelhas fazem a festa.
Fiz imagens e coloquei num filme para que pudessem partilhar comigo deste momento.
O dia já valeu para mim por isso, sou grata a minha existência e ter a oportunidade de fazer parte deste mundo que tem coisas tão belas em coisas tão simples.

Tensão

Hoje uma pessoa me perguntou, na verdade não é de hoje, há dias tem me perguntado o que está acontecendo? Na verdade nada está acontecendo e eu ando tensa.
Tenho tratado minha ansiedade e sob este aspecto eu me sinto muito bem e tranqüila, mas tenho a nítida impressão de que alguma bomba vai explodir.
Resolvi explicitar isso aqui para formar testemunhos do que sinto.
Sabe aquela impressão que você tem antes de uma tempestade, quando tudo para e fica calmo, mas você percebe que aquela calmaria é temporária e vai estourar numa tempestade magnética com muita chuva, muita água rolando morro abaixo, muito vento? É assim que eu me sinto.
Eu particularmente sou uma pessoa acelerada, tenho um fogo que vem de dentro, que sacode as pernas, que me deixa a mil e tenho me sentido brecada nisso. Como se minhas pernas quisessem correr, mas o cérebro não comandasse.
É certo que estou medicada para ficar mais tranquilinha, mas isso não é motivo para me sentir desta forma, muito pelo contrário. Eu deveria estar deitada em qualquer lugar olhando para o teto, de boca aberta rindo e pensando que tudo é azul, mas algo não deixa.
Tenho passado uma fase meio conturbada de consciência, separando os “ins “e os “offs”, mas isso já aconteceu tantas vezes na minha vida que eu já deveria tirar isso de letra.
Enfim, eu não sei nada, mas o clima anda meio tenso...ahahahah...
Nada me resta senão esperar para ver que bomba vai explodir, hehehehe

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Na real

Até que ponto pode ir a falsidade de uma pessoa? A ponto de criar coisas que não existem, sem sentido, assim, do nada?
Se as coisas chegam a mim completamente inventadas, fico imaginando como elas vão adiante, sofrendo distorções e no que elas se transformam. Isso me assusta.
A troco do que uma pessoa inventa coisas a seu respeito, sendo que você está quietinha no seu canto, sem contato algum. Se no primeiro dia que você vê, depois de muito tempo, as primeiras palavras proferidas são mentiras?
Aí você fica com aquele sorriso amarelo, quando na verdade deveria contestar imediatamente, porém, você não agüenta mais a pequenisse de certas pessoas e não gasta mais palavras nem tempo, por que sabe que vai virar um engodo sem tamanho e como o mentiroso geralmente é a vítima, você passará por vilão.
Muitas vezes as pessoas tiveram essa visão minha, de ser a vilã das histórias, pela minha postura séria e nada simpática de ver estas coisas. Até séria eu sou bem humorada e mesmo de cara séria eu dou risada por dentro. Como analista que sou de qualquer situação, a primeira idéia do meu perfil é que não gostei da piada. Alto lá, estou analisando e pensando no momento certo de rir. Geralmente sou a última, dizem que quem ri por último ri melhor, não é mesmo?
Dizer que eu estou muito séria? Óbvio, afinal tenho 46 anos, não sou uma porra-louca qualquer e a brincadeira tem limites. Se a maturidade não pode me dar um pouco de seriedade a respeito de certas coisas eu não sei quando adquirirei isso, na senilidade, será?
Esse papo todo de minha parte, é por que tem gente que não faz mais parte do meu meio (por que a vida conduziu assim) e tem o pensamento completamente equivocado a cerca da minha pessoa.
Minha vida nunca foi tão boa, estou cercada de pessoas divertidas, mas que enxergam as coisas com mais seriedade e fazem coisas construtivas. A vida fez com que eu me afastasse dos vampiros de boas energias e aproximasse de mim aquelas que realmente me acrescentam algo.
O tempo das fantasias acabou, helooooowwwwwwww, a vida é real, mentir para si mesmo é o caminho mais certo para a depressão, e deste caminho eu passo bem longe.

terça-feira, 25 de agosto de 2009

Visitante Noturno

A noite é fria e a brisa gelada do inverno deixa as ruas desertas.
Tudo quieto...
Uma coruja pia, longe, algum cachorro late, algumas pedrinhas no jardim se chocam, provocando um sutil barulho...
É meu amiguinho brincando com elas...
Mamauuuuuu... mamaaauuuuuuuu...
Ele vem chegando de mansinho, analisando o ambiente, não vai com qualquer um, é ele que escolhe o colo. Esfrega-se pedindo carinho e retribui com muitos ronrons.
Assim é o meu visitante noturno.
Vem e vai...

sábado, 8 de agosto de 2009

Finalmente dando o ar da graça

Passei uns dias meio em off por aqui, porque não estava me sentindo muito bem.
Depois de tanta festa e de me expor tanto ao frio acabei com dores horripilantes na coluna que me levaram a um quadro de ansiedade, fazendo com que eu precisasse uma dose de valium para acalmar meu coração agitado...heheheh
Agora, já mais calma e recuperada das dores de velha caquética e animada para fazer uma farrinha, trago alguns momentos muito felizes e engraçados que passamos por aqui por ocasião do níver do meu primo Pablo, onde a galera se esbaldou de dançar e cantar.
Feitos assim deixam a gente com a alma lavada, na certeza de que são bons momentos realmente que nos trazem felicidade. E felicidade também é fazer parte de pessoas de bem com a vida que nos trazem boas energias.
A seguir então, algumas fotos deste momento e um vídeo para que possam compartilhar comigo desses bons momentos.
Divirtam-se!


Antes da festa, eu vendo Tv e Rose tirando uma pestaninha depois da Stammtisch e virada da noite em Itajaí.


Carol já exausta nos ombros do Paulo, depois de festa o dia inteiro, muito frio e chuva.


Meninos se esquentando no balcão


Uma pausa para a foto


Já à mil prontos para cantar


Aqui um dos vídeos da festa.
Abraços!

terça-feira, 28 de julho de 2009

VII Stammtisch - Jaraguá do Sul

Antes de fazer qualquer comentário, resolvi trazer uma definição do site oficial da Stammtisch, para quem possa interessar.

O que é a Stammtisch?

O termo stammtisch é formado da junção das palavras stamm, que significa tronco e tisch, que significa mesa. Ou seja, numa tradução fiel "mesa de tronco".
O dicionário Michaelis (alemão/ português), acrescenta dois outros aspectos que procuram explicar o significado do termo: "Stammtisch, mesa cativa de grupo de frequentadores". Desta forma, define um local pré-determinado (mesa cativa) e incorpora, a este local, a presença de um grupo de frequentadores habituais.
Entretanto, além dos aspectos pré-determinantes que envolvem o sentido do termo, para entendê-lo é preciso trazer à luz o espírito reinante neste ambiente. Não é outra a intenção demonstrada numa jocosa definição contida em uma placa pirografada afixada num espaço existente para a reunião destes grupos na Cervejaria Hofbräuhaus, em Munique.
A este respeito, por ocasião da comemoração dos 400 anos desta cervejaria, em 1989, o apresentador do programa especial rodado pela TV alemã ZDF assim traduziu a salada de letras contida nesta placa: "Stammtisch é: Um determinado local, uma determinada mesa, num determinado canto, onde em determinados dias, umas determinadas pessoas, num determinado horário, tomam assento em determinadas cadeiras. Ali, com uma determinada quantidade de uma determinada bebida, falam sobre alguns determinados temas, e então numa determinada hora, com um determinado porre, determinam ir para casa onde uma determinada pessoa espera, com certeza, com um determinado protesto".
E conclui o apresentador da ZDF: "Isto está determinadamente certo".
Uma versão mais romântica do que significa stammtisch, passada geração após geração pela tradição oral, conta que o termo começou a ser usado na Idade Média. Os lenhadores bávaros, ao cortar a primeira árvore de uma nova área de extração de madeiras, faziam-no à altura de uma mesa e, de seus galhos mais grossos, cortavam toletes que lhes serviriam de bancos. Era ao redor desta mesa improvisada que faziam suas refeições e, ao final do trabalho diário, ali se reuniam para bater papo, planejar o dia seguinte e bebericar do vinho que traziam em seus alforjes. O seu tronco comum (stamm), era a sua própria profissão ou atividade (lenhadores) e o espírito reinante ao final de cada jornada de trabalho, ao redor daquela improvisada mesa (tisch), forjada no tronco da árvore, não era outro que relaxar, jogar conversas ao léu, cultivar a amizade, celebrar a vida.
Segundo esta versão, o hábito daqueles lenhadores ganhou as tabernas, nas cidades, e nestes ambientes, teria se perpetuado o nome stammtisch para todos aqueles que, habitualmente, as freqüentavam e costumavam, na companhia de amigos, sentar-se numa mesma mesa previamente reservada ou que lhes era cativa. Mais tarde, o nome acabou identificando aqueles que, além da amizade, detinham outros aspectos comuns, o mesmo local de trabalho, uma determinada atividade cultural, social ou política, etecetera (mesmo tronco, mesmas raízes), que justificasse o fato de se encontrarem, ao redor de uma mesma mesa, uma mesa cativa.
Foi ali, no ambiente das tabernas que os grupos se deixaram envolver por outra bebida além do vinho, a cerveja, na maioria dos casos, como ainda hoje, era produzida nestes próprios estabelecimentos ou na cidade aonde se localizavam.
Certa, errada ou meramente especulativa, esta versão é a que, sem sombra de dúvida, mais se encaixa com o jeito de ser dos stammtische espalhados pela Alemanha, Áustria, Suíça, Dinamarca e em outros países sob influência tedesca, bem como aqui no Brasil, nas cidades colonizadas por descendentes destes países.
Luiz Eduardo Caminha
Fonte: Site Oficial da Stammtisch
http://www.stmt.com.br/oqueeisso.htm

Depois disso nem sobra mais muito a comentar a não ser que me diverti muito com o pessoal da Sede. O vídeo dispensa comentários

terça-feira, 21 de julho de 2009

Não tenho estômago de avestruz

Sábado, 11 de julho de 2009, estávamos todos aqui em casa tomando uma gelada e ninguém com muita vontade de cozinhar, nem assar nada. Acabamos pedindo uma lasanha numa casa “bem conceituada” aqui da city, especialista em pizzas, mas, que também serve outras massas.
Chegou a tal lasanha... a pior que já comi na minha vida. Cheia de molho de tomate, extremamente salgada e com algumas bolinhas de carne boiando no molho, já que era à bolonhesa. Quer dizer, ela tinha este nome, mas, era apenas de um molho vermelho, salgadérrimo e extremamente ácido. Devia ter uma folha de massa no meio, boiando no meio de tanto molho.
Fiquei aqui pensando se essa gente pensa, que temos estômago de avestruz, sim, avestruz engole tudo e nem sente o gosto.
Estou comentando isso agora, por que ontem tirei o dia para fazer lasanha. Comprei ingredientes e embalagens, para deixar várias lasanhas prontas e congeladas. Assim, quando bater aquela vontade de comer algo gostoso e a preguiça não permitir que se faça, eu simplesmente tiro uma do freezer e asso.
Até as lasanhas industrializadas são gostosas e bem servidas. Óbvio que todo produto industrializado que é vendido no mercado, custa mais caro, tem conservantes e outros aditivos químicos. É tipo do rango de última hora, de improviso, não se pode consumir frequentemente, eu tomo este cuidado.
De uma coisa eu tenho certeza, nunca mais eu pedirei lasanha naquela pizzaria e assim que tiver oportunidade eu vou dizer: escuta aqui, como é que vocês conseguem fazer algo tão ruim? Ahhh vou mesmo, do jeito que eu sou, sou bem capaz de presenteá-los com uma das minhas lasanhas e dizer: isso aqui é uma lasanha. Aquilo que vocês servem é lavagem.

domingo, 19 de julho de 2009

Dazaranha no London

Há anos eu vejo esta banda e cada vez melhor. Ainda lembro das primeiras apresentações tímidas em Floripa, depois aqui em Jaraguá mesmo, do tempo em que faziam apresentações de capoeira no palco.
O que me impressiona realmente é a empatia que existe entre a banda e o povo.
Depois de acompanhar muitos shows, até por ter trabalhado em produção, vi muitas vezes o povo esperar uma banda, mas, ao fim de duas ou tres músicas, já se espalhar, nem prestar muita atenção, por que eles estão ali mais para beber e namorar. Isso não acontece quando o Daza chega. A galera não arreda o pé, canta sem parar e é fidelíssima a banda.
Ontem fui vê-los no London Pub, do nosso querido Chico Piermann e, curti cada momentinho. Acompanhada do meu fiel amigo Zequinha, curtimos demais a galera do Daza.



A energia do momento foi uma coisa fora do normal. O povo foi chegando e foi ficando, realmente não arredava o pé, queria curtir. A ida ao banheiro, no lugar apinhado de gente era uma verdadeira incursão esfregatícia... hahahha. Um tal de rossar e encoxar que não tinha fim. Era seguir em frente sem dar muita atenção ao que podia rolar.Com meu amigo Zeca abrindo caminho a coisa ficou mais fácil. Meu bem, meu bem, pode ir pra frente que eu to indo também...
O povo fica com aquela cara não muito simpática, achando que você está louco para roubar seu lugar... hahaha... é muito engraçado, fazem cara feia, ficam duros feito muralhas, viram de bunda para não correrem o risco de ceder a um olhar pedichão, querendo passar... Eu particularmente odeio esse sufoco, mas, pelo Daza, valeu, valeu cada encoxada que eu levei na travessia.
O ângulo do filme não ficou lá aquelas coisas, mas, dá para ter noção do que foi a noite.O conforto foi quase impossível, mas, com os amigos e a cerveja geladinha supera-se qualquer situação.

Eu Protesto!!

Gostaria de entender o que passa na cabeça de alguns amigos meus que eu sigo aqui no Blog. Eles querem que eu os siga, no entanto eles não me seguem.
Vejo Blogs por ai cheio de seguidores. Eu sei que as pessoas pouco comentam ou quase nada, isso é normal, eu leio muita coisa por ai também, mas não comento. Porém na internet é de bom tom, retribuir essa parceria. Como na vida real, eu lavo sua mão,você lava a minha, certo?
Isso já está ficando como a lista de amigos do orkut. Tem 500 amigos porém, ativos tem 5.
Daqui para frente não vou mais seguir quem não me segue... hahahaha, não vou mais comentar com quem não comenta.
Qual é?

PS: Este comentário não se refere aos meus queridos amigos postantes deste blog.
;)

quinta-feira, 16 de julho de 2009

Tatu recheado

Hoje vou aproveitando meu espaço para postar uma receita minha que faz muito sucesso aqui em casa. Não é difícil de fazer, dá sim um pouco de trabalho mas é um prato que pode inclusive ser comido frio, com pães.



Ingredientes

1 peça de tatu (posta branca) inteira - 1500 kg, 2 cebolas brancas médias, 1 pimentão vermelho, 4 ovos cozidos, 4 dentes de alho , 2 tomates, 3 colheres de (sopa) de óleo, 2 limões, sal e pimenta a gosto.



1 dia antes de assar1º - corte a peça ao meio em partes iguais. Faça um corte com uma faca bem afiada até o fundo da peça mas sem deixar que ela abra no fundo. Tempere com sal e pimenta, esfregando com as mãos uma camada fina na carne toda, por dentro e por fora.




2º - recheie a carne com os ovos cozido inteiros e a cebola, o pimentão e o tomate picado. Colo que dois dentes de alho em cada parte. Feche com palitos ou como nesse caso aqui fechei com ganchos de específicos para assados. Coloque num recipiente e cubra com molho dos limões e o restante dos ingredientes picados. Guarde na geladeira até o outro dia quando for fazer

3º - no outro dia, leve ao fogo, só a carne, numa panela com o óleo no fundo e vá dourando e virando sempre para que fique bem marronzinha. Tenha paciência e deixe fritando por umas 2 horas, sempre regando com um pouco de água para não secar.




4º - Quando estiver bem marronzinha junte o tomate e cebola restantes e deixe dourando tudo, refogando como um assado de panela qualquer até que dissolva bem os temperos. Quando esses tiverem formado um molho acrescente 2 copos de água e deixe cozinhando por mais algumas horas em foto baixo, sempre acrescentando um pouco mais de água sempre que necessário.

5º - Desligue e retire da panela, corte em fatias perto da hora de servir. Pode-se colocar as fatias dentro da panela com cuidado para não quebrar e deixar no molho aguardando a hora de servir, dando então uma esquentada de leve.




Obs: Este é um prato que o ideal é servir bem quente no inverno mas no verão pode ser servido quase frio guarnecido de pêssegos e outras frutas em calda. É um prato que deve ser feito com muita paciência e o sabor dele se acentua quanto mais cozinhar. Mesmo por que a posta branca é uma carne dura e requer bastante cozimento mas jamais em panela de pressão.

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Pó Pará!!

Alguém sabe me dizer como faz para deletar a merda do netlog?
No ano passado andei trocando umas mensagens com uma amiga, num espaço que ela fez. Acabei aderindo a isso e agora to me ferrando. Não consigo de jeito algum me desvincular desse treco. Cada vez que vou deletar, ele faz mil perguntas e é preciso fazer mil coisas para sair dele. Dentre tudo, é preciso justificar o “por que” quer sair disso e a coisa não tem fim.Faço tudo conforme é pedido e quando acho que estou livre, lá vem um pedido de adesão novamente e é sempre de homens nada a ver comigo. Com propostas absurdas e perfis que, dê-me paciência Senhor!
Hoje deparei-me com um pedido, que eu tive que rir. Um homem de 63 cujos hobbies do perfil eram: fandango, trago e mulher. Com uma observação: ( Hoje concentrando 98% no último item). Kkkkkkkkkkk...só por Deus! Véio fodedor?
Uma foto pescando a beira de uma lagoa, de calça de tergal, camisa de gola e sapato social...kkkkkkkkk, tudo a ver comigo, né? Hahahahahahahaa.
Uma pessoa que põe como hobby o “trago”, deve ser dos bons. Deus me livre passar tudo o que eu já passei na vida por conta do alcool!
Fandango? Cruzis! Jesus, Maria, José e o presépio inteiro, como diz meu amigo Ivair...
Eu sou uma mulher de 46 mas com muita vitalidade, muita pressão, tenho “fogo nas ventas” e não preciso de um outro pai. Nada contra, não é preconceito, mas, com certeza não é para mim. Tenho preferência por homens mais novos que eu e isso, já ficou praticamente definido na minha vida, através de todos os homens com quem me relacionei nestes últimos 18 anos. Tá certo que as vezes eu tenho a impressão que nasci muito cedo, mas, isso não impede que mesmo num corpitcho de 46 eu me molde aos lindos mancebos que passam por minha vida.
Talvez um dia, quando eu estiver bem velhinha, sentada numa cadeira de balanço, fazendo crochê eu adote um véio para eu cuidar, mas, por enquanto, to fora!
Nunca se sabe da vida, eu posso pagar amanhã pelo que estou dizendo, mas, tenho exemplo na minha família que é triste e não quero este fim para mim, de jeito algum.
Deixando a questão de idade de lado, outra coisa que pegou foram os perfis de mulheres que haviam no perfil do dito cujo: bibinhafaceira – marazinha21 - eucarinhosa22 – neuzinhalobinha - charmosa/blu ... só mulheres e todas por volta dos 20 anos.
Eu hein? Sai fora véio assanhado!
Enfim, se alguém souber como deleta esse tal de Netlog, me dê um help, ok?

domingo, 5 de julho de 2009

Um vídeo para cegos?

Longe de querer fazer piada com nossos amigos deficientes visuais, mas, como disse o amigo Zequinha, este é um vídeo para cegos, ou seja, é só para ouvir...kkkkkkkkk

Então, ligue o som e curta conosco... hehehehe
Com vocês: os Chefes em noite de ALEGRIAAAAAAAA!!!

domingo, 28 de junho de 2009

Homenagem

Faço questão de deixar aqui a minha homenagem a Michael Jackson que embalou tantas vezes as minhas festas e principalmente me fez viajar com emoção em algumas das suas obras, que com certeza ficarão para a prosperidade.
Separei uma das músicas dele que eu eu mais gosto.
O Michael Jackson artista que eu gosto, é esse.

Sem mais!
Apenas que os espíritos socorristas estejam apostos caso ele necessite.

sexta-feira, 26 de junho de 2009

Uma alô doce

Alowwwww povo que me segue, ando meia devagar por aqui, mas, é que ando tendo inspiração em outras coisas, menos virtuais, hehehehe...
Os dias tem sido bem gelados por aqui e o corpitcho tem pedido comidinhas mais potentosas, que saciem mais a fome, afinal, ele precisa de mais energia para se virar nesses dias tão frios.Porém, é preciso muito cuidado para não sair fora do nosso limite e a saída é fazer algumas comidas mais energéticas, que saciam a vontade e dão mais força,mas, não mais gordura, certo?
Resolvi então compartilhar com vocês uma receita que sempre faço, meu povo adora.É super simples, apenas você terá que procurar no mercado a farinha e os flocos de quinua real, que é um cereal cultivado nos Andes, um pouco caro sim, mas, usa-se bem pouquinho. Com um pacotinho de Quinua você pode fazer muitos bolos. Vale a pena também pelo seu valor energético. Diferente da nossa farinha de trigo comum, ele é rico em ferro e cálcio.
Sei que algum seguidor aqui ficará furioso,hahahaha, vive dizendo que eu posto fotos de delícias para instigá-lo, o que não é verdade, mas... é um pouquinho...hehehehe.
Para os adeptos da boa gastronomia e que tem o dom de cozinhar, mãos a obra, é mais fácil que fazer farofa. Para os bons de garfo e preguiçosos, saibam que quem cozinha bem, também faz outras coisas bem, éhhhhh isso mesmo.Fazer e comer é melhor ainda, pois este simples bolinho é tão gostoso e prazeroso quando fazer outras coisas bem.

Bolo de Quinua com Banana
(sem glúten)


Ingredientes:
- ½ xícara de farinha de Quinua Real
- ½ xícara de flocos de Quinua Real
- 2 colheres de sopa de mel
- 2 colheres de chá de fermente em pó para bolo
- 2 banana-nanica grandes e bem maduras
- 2 ovos
- 3 colheres de sopa de óleo
- 5 castanhas do Pará
- 1 colher sopa de açúcar
- 1 colher de chá de canela em pó

Modo de preparo:
Pré aqueça o forno. Misture a farinha com os flocos.
Separadamente, misturar numa tigela as bananas amassadas, os ovos, mel e óleo. Misturar muito bem e acrescentar a farinha e os flocos. Por último misture o fermento. Unte uma forma com furo, pequena e, leve para assar em fogo alto por 25 minutos.

Farofa para a cobertura:
Rale as castanhas e misture com o açúcar e a canela.
Polvilhe em cima do bolo enquanto ainda estiver quente.

quarta-feira, 17 de junho de 2009

De mal jeito, mas indo.

Hoje conversando com um amigo, discutíamos sobre as mudanças das pessoas e aquilo que não as muda, que é o caráter.
Já dizia há um tempo atrás, um conhecido, que eu vejo o mal de forma muito etérea. Ou seja, não vejo o mal como algo real, to sempre achando que todos são bons, que podem mudar e assim engano-me a mim mesma.
Hoje já não me decepciono mais com essas pessoas, mas, sim comigo mesma por permitir as vezes que façam coisas que não deveriam. Aquilo que não se faz com ninguém. Mas até que ponto vai o limite daquilo que permitimos até o limite do que nos permitem permitir?
Entre amigos, tudo é possível, mas, a falta de cortesia é algo abominável.
Se procuramos não ser descorteses com estranhos por que às vezes somos com quem amamos? Fica a pergunta no ar: amamos mesmo?
Não me coloco como vítima, mas, como a verdadeira vilã. Ora, pois, se permito que me façam desfeitas, passei de vítima para vilã de mim mesma, não é?
Teria eu um sentimento masoquista no meu eu que parece precisar se estrepar para depois de sentir a dor, entender como as coisas se processam realmente? Estou achando que sim.
Quais infortúnios de maldade tivera eu cometido em alguma vida, levando em consideração a reencarnação, para agora chicotear a minha própria honra a ponto de ver sangrar a minha própria alma?
É incrível, mas, às vezes tenho um sentimento de que as coisas são cíclicas. Claro que cada vez com uma visão a mais, mais um ponto a ser analisado e mais aprendizado.
Só que o que não fica claro em minha mente, é que, se sei que o caráter das pessoas não muda, por que me permito essa “esfolação” moral, que rabo preso eu teria afinal?
Sinto-me muito bem de consciência, numa nova fase da minha vida, que é colorida, florida, cheia de amor para dar e receber, no entanto de outro lado, os espinhos continuam me espetando e parece às vezes que muito pouco eu aprendi.
Já não me sinto mais patinando, no entanto, penso que os passos à frente poderiam ser mais que meios passos. Pois são dois para frente e um e meio para trás.
Essa caminhada tem sido realmente, bem difícil.

quinta-feira, 11 de junho de 2009

Eu e minhas outras caras

Talvez alguns achem isso um tanto narcisista, talvez seja, mas, acho que não.
Eu curto demais transformar minha cara através das imagens. Se não for num cenário montado, acaba sendo num manipulado.
O auto retrato, acho muito interessante. Você tem a capacidade de explorar tudo nele. Desde a parte externa, estética, até o íntimo das suas emoções. Vira de tudo, a qualquer momento, em qualquer lugar. A foto manipulação me dá esta oportunidade e nem queiram saber o quando me divirto com isso. Desde o momento que surgiu a idéia até a opinião do interlocutor, mesmo que ele seja anônimo.
Catei algumas por ai. Todas tiveram seu momento, sua glória. O mais gostoso de tudo isso é que se uma pessoa conseguiu captar o que você quis passar é sinal de que a meta foi atingida.

quarta-feira, 10 de junho de 2009

Exercitando a paciência

Ultimamente meu maior aprendizado tem sido exercitar a paciência. Ser menos impulsiva e, aprender a chutar o pau da barraca com sutileza.
A vida tem me trazido algumas situações que são muito íntimas para externar, mas, que tem sido de grande aprendizado e benéficas. Estaria eu finalmente amadurecendo? Estaria eu usando a razão finalmente? Custei para chegar aqui...
Se de um lado a razão afirma o que seria o caminho correto, de outro a emoção se rasga em mil pedaços. Vai e volta, quer gritar, mas, não pode. Um segundo e a razão domina.
Fico aqui no impasse do que seria realmente eu. A emoção ou a razão?
Muitas coisas vêm fluindo com facilidade até, por conta da razão, mas, para a emoção às vezes tudo é tão difícil, parece ser rastejante. Como se horas e dias fossem um tiquinho de um ponto no quase nada. Por outro a satisfação do equilíbrio consola.
O ponto do meio disso tudo é o equilíbrio e equilibrar-se não é nada fácil.
O exercício do Tai Chi Chuan tem me mostrado isso na prática e mecanicamente.
Fazer os movimentos de forma circular, com a leveza de uma pena ao pisar o chão de vidro, o silêncio da cobra ao se movimentar sob as folhas secas e desenvolver a delicadeza de uma seda ao afagar o ar, da forma como ela escorre em nossas mãos ao tocar. Tornar isso mecânico não é fácil. Para fazer sem querer é preciso primeiro querer isso. É trabalhar tudo: corpo e mente. Uma analogia para a minha situação atual.
Se de um lado minha emoção grita, de outro minha razão faz shhhhhhhhh!!! Existe uma grande distância entre o grito e o silêncio.
Abro os braços para o céu e recolho a terra com as mãos, trago para dentro de mim e boto para fora como o bater das asas da garça. Vôo por ai com as asas da águia e recolho-me na flor de lótus, com suas pétalas côncavas quando nascem e convexas quando desabrocham. Lanço através da flecha tudo o que não é meu.
Isso é exercitar a paciência e, garanto, é bom!

sábado, 6 de junho de 2009

Tomei uma nos "zolho"

Essa é uma expressão que a gente costuma usar aqui em casa quando quer dizer que alguém se estrepou ou a vida mostrou a realidade. Algo como ser repreendido, cair do cavalo ou acordar para a realidade.
Pois eu hoje tomei uma nos zolho, literalmente.
Fui varrer minha casa e lá pelas tantas o pau da vassoura escorregou da minha mão e veio direto em cima do olho. Na hora foi uma porrada, vi estrelas, bem como é figurado nos desenhos animados ou histórias em quadrinhos.
Imediatamente a gente põe a mão e olha para a mão para ver se não está sangrando, eu fiz isso. Estava sim, sangrando, coisa mínima, mas graças a Deus não era o olho e sim a pele da pálpebra.
Fiquei aqui pensando depois e rindo da minha própria cara, pois aprendi a dirigir, mas, ainda não aprendi a conduzir uma vassoura. E, olha que tenho anos de estrada com a vassoura, kkkkkkkkkkkk
Agora estou aqui assim, fui nocauteada, com certeza ficarei de olho roxo, que coisa absurda. Teria sido mero acaso ou há alguém querendo me dar uma nos “zolho”?

quinta-feira, 28 de maio de 2009

Zoo de Pomerode

Há tempos ando sem escrever por aqui, pois minha vida anda meio correria nos últimos dias e também faltou inspiração.
Fiz então um vídeo, de um passeio ao Zoológico de Pomerode, que fica pertinho daqui.
Espero que gostem.

terça-feira, 12 de maio de 2009

Os Chefes

Estes caras merecem mais um vídeo por aqui pois os considero ótimos.
Sempre que posso, vou a um show deles, pois além da música que é excelente, sempre acabo encontrando amigos de longas datas. Sempre tem uma surpresa, sempre tem alguém que há tempos não vejo, sem falar que há a certeza de encontrar as pessoas da mesma tribo. Sinto-me em casa com este fundo musical.
Deixo então mais um vídeo deles por aqui e o link de um vídeo passado deles.

http://magicomundomeu.blogspot.com/2009/02/e-nessa-que-eu-vou.html

Ando sem muita inspiração para escrever. Assim, quando não há muito o que falar, o melhor é mesmo ouvir.

quinta-feira, 7 de maio de 2009

Zeca Jr. disse

Hoje vou transcrever o texto de meu amigo Zeca que deixou aqui no meu blog, outro dia, como comentário do meu último post: “E no cuzinho? Não vai nada?

Elaiá...lá vamos nós "traveis"...rsrsrs falar dessa questão de cortar relações é "com nóis memo"...estamos calejados disso, né Scharôa (version - foto no bode colorido)...as coisas passam, o tempo passa, as coisas mudam, os endereços mudam, os telefones mudam, só o que não muda mesmo são as manias das nossas mães (desde os idos da Reinoldo de barro) e a nossa mania de acreditar nas pessoas, melhor dizendo, na boa vontade delas e na veracidade das palavras proferidas pelas suas bocas...
E toma pau na cabeça (pra não dizer em outro lugar...)Será quando é que vamos aprender? Não vivemos mais na época em que pessoas davam suas carteiras recheadas de dinheiro para as filhas dos vizinhos brincar em cima das camas, de acordar pela manhã e sentir o aroma de café que saía da chaminé da fábrica e "poluía" toda a redondeza (seria isso poluição???), muito menos de ir até a "venda" e pegar (pegar mesmo, pois tudo o que se pegava, era anotado na caderneta que era paga ao final do mês)um "cartucho" de bala picada ou quinhentos gramas de torresmo embrulhado em papel cor-de-rosa (o mesmo utilizado para fazer as contas de quanto tudo isso tinha custado e assim poder ser anotado na caderneta).
Hoje em dia vivemos no tempo do imediatismo e muitas coisas boas foram deixadas pra trás, uma delas é o companheirismo, a amizade e porque não dizer, o RESPEITO e admiração por aqueles que julgamos ser nossos amigos... pessoas, essas que na tua frente falam alguma coisa, mas que basta você dar uma pequena inclinada com o corpo (nem precisa mais dar as costas) já estão lascando lenha no teu pelo...
Falando em pelo, ouvi sempre meu pai comentar sobre a palavra, palavra que valia mais que um fio de bigode...hum, será que as pessoas nos dias de hoje não tem mais palavras pois o que nos dita a moda é não usar bigode? É, nessa hora poderíamos mudar o ditado... "amigos amigos, bigodes à parte".


É verdade querido Zeca. Seu texto é saudosista e não podemos mais voltar atrás e ter todas essas coisas que você cita ai, que vivemos na nossa infância. Agora, o que não devia ter mudado, era exatamente isso que você diz: a palavra, o respeito. É exatamente a isso que me referi no texto. Se uma amizade de uma vida toda, que compartilhou tudo isso, não é suficiente para se ter o respeito por uma pessoa, eu não sei mais o que é amizade.
Talvez alguns que leiam aqui não estejam entendo exatamente o que queremos dizer, eu vou dar uma dica, ok? Fiz um trabalho para uma pessoa, que me absorveu tempo, inspiração, criatividade, o meu nome para conseguir favores (nome que tenho por merecimento, que herdei de meu pai, pela sua idoneidade e competência),disponibilidade, horas de laser com meus familiares e sabe lá Deus o que tudo. Promessas de tantas coisas que de uma hora para a outra morreram no nada, sem uma explicação, com um descaso fora do normal. De minha parte, cessei os favores e a outra parte me colocou como o vilão da derrota de um projeto que nunca decolou. Projetos, projetos e projetos... eu já me enchi de projetos que não dão em nada, de gente que vem de mansinho como quem não quer nada, enchendo a tua bola e dão em nada.
Uma coisa é certa, caro Zeca:ESTOU LIVRE! Já aprendi na vida que as coisas que não vão bem, as coisas que não evoluem, devem ser eliminadas e devemos ocupar o nosso tempo nesta vida aqui com coisas produtivas e amigos que realmente nos querem bem. Eu estou muito bem, muito bem mesmo, fazendo limpa na casa, na vida, diminuindo montes (vide texto dos montes).
Grata pelo seu comentário, pelas suas palavras, caro amigo, companheiro da vida toda, desde pequeniiiinho, desde o tempo do bode colorido...kkkkkkk. Isso também daria um belo post no blog. Hahahaha! Te amo!

terça-feira, 5 de maio de 2009

E no c*zinho? Não vai nada?

Desde ontem venho pensando de como algumas pessoas aproveitam-se da boa vontade das outras, usam, abusam e quando a parte usada corta os “benefícios”, sentem-se ofendidas e cortam relações. Feito criança que não ganhou pirulito. Só aí se enxerga a imaturidade dessas pessoas e a verdadeira intenção delas.
Eu já virei expert no assunto, se alguém precisar de exemplos de como ser um otário, me consulte que eu dou belos exemplos e de graça... ahahahahaha.
Sempre gostei de ajudar os amigos e com isso muitas vezes fiz trabalhos sem cobrar absolutamente nada, pelo simples fato de achar que uma mão lava a outra e caridade não é apenas dar um pedaço de pão. Só que eu sou otária, mas, não a vida toda. Eu demoro um pouco, mas, acordo.
Quero deixar claro que, muitos trabalhos fiz para amigos, com prazer, que souberam reconhecer, não é a esses que eu me refiro.Trabalhos que me deram um leque de oportunidades das quais eu soube aproveitar, que me ligaram a pessoas e que me deram um canal que jamais será cortado, pois nele mostrei minha capacidade, algo que ninguém poderá tirar de mim. Gente que soube reconhecer o que faço e deu valor a ponto de formar um elo de interlocução imortal. Relações, contatos, reconhecimento, respeito, admiração, reciprocidade de sentimentos e opiniões, que são elos que nunca se desfazem.
Houve também os que pagaram e souberam aproveitar muito bem, a esses eu sou gratíssima pela confiança que depositaram e feliz ao ver que também aprenderam comigo, pois vejo volta e meia algum resultado disso por ai, por este mundo virtual de nossas vidas.
Quando alguém se aproveita da sua boa vontade e depois corta laços é como se tudo aquilo a que você se propôs e quis ver um resultado, parece não ter dado certo, parece não, não deu mesmo e isso frustra. Sem falar no principal que é o elo de amizade que é quebrado. É a mesma filosofia do dinheiro que se empresta ao amigo: “Para amigos não se empresta dinheiro, se dá!”.
Aí fica a incerteza no ar: quem errou? A outra parte ou eu que ainda não fiquei esperta o suficiente? Hehehehehe. Ainda, aiiiiiiiiiiinda não. Jesus! Quantos anos mais eu levarei na minha vida para aprender que existem “pessoas” e pessoas, “amigos” e amigos? Mas, não dá nada! Isso tudo não me abalou tanto assim, era um resultado já esperado, era apenas uma questão de tempo, e hoje consigo fazer uma reflexão que se resume na frase do título.
Parafraseando Murphy diz-se que, quando se começa um projeto, sabendo que existe uma grande possibilidade de dar errado, ele dará errado. Já Clark foi irônico e disse que Murphy era otimista. Acho que sou mais Clark que Murphy , realmente...

domingo, 3 de maio de 2009

Ahh o amor

Ele está em tudo que vemos, está em nós...
o paraíso, ja o temos e não sabemos.
Segue ai um video que fiz, pensando nisso.



Tenho o meu canal no Youtube. Caso alguém queira adicionar, fique a vontade.
http://www.youtube.com/user/maramaluk
Beijos e uma semana cheia de amor!

quinta-feira, 30 de abril de 2009

Doce Deleite. Meia ou inteira?

No domingo, dia 26 de abril fui ver a peça Doce Deleite. Amei, ri muito, fiquei encantada com o trabalho de Reynaldo Gianechini e Camila Morgado.
O início da peça aborda um assunto que vou discutir aqui, que é a questão de pagar meia ou inteira no teatro e os convidados.
Aqui na minha cidade a idéia é popularizar o teatro, só que vai ser bem difícil isso acontecer com os valores dos ingressos cobrados.
Por ocasião da vinda de outra peça com atores "globais" já discutiamos sobre a falta de patrocínio, valores que não correspondem a realidade do povo, sendo assim, praticamente inviável essa popularização que se almeja.
Quem paga meia? Estudantes, idosos e portadores de deficiências físicas, certo? Só que os estudantes que eu vi em Doce Deleite, em sua grande maioria eram pessoas que estão colocadas no mercado de trabalho, tem renda, são aquelas pessoas que depois de curtidas resolveram fazer uma faculdade para sua própria realização pessoal, com raras exceções. Nada contra isso, mas, contra este tipo de estudante pagar meia entrada. Sempre entendi que o estudante(que paga meia) é aquele que ainda depende dos recursos da família ou de bolsas para estudar, mas tudo bem, vá lá, tá?
Que tipo de idosos eram aqueles que estavam lá na peça? Todos são empresários, administradores e pessoas de posses. Vi todos lá, vi o fulano de tal, o cicrano de tal, o beltrano de tal, só gente que tem muita grana, muita mesmo. Portadores de deficiências não vi nenhum.
O ator faz menção no início da peça a essas meia-entradas, comentando: -puxa como vocês gostam de teatro, hein? E essa para mim, foi na vêia. A platéia riu, eu também, mas, sarcasticamente em homenagem a todo aquele povo de grana que lá estava pagando meia. Ainda lembro da cara da "fulana de tal" logo a minha frente, que lançou um olhar de vergonha a colega "beltrana de tal" que estava ao lado. Lembro também da que estava atrás de mim e o comentário que fez: - pena que eu não posso rir. - É verdade, eu também, não podia, paguei inteira.
Não me entendam mal nessas colocações.O que quero dizer aqui, não é por inveja por não poder fazer isso, não é revolta, mas, simplesmente uma análise lógica do por que as coisas não se realizam conforme os sonhos. Ora pois, se estes todos que pagaram meia entrada, pagassem inteira, iria baixar o valor do todos os ingressos e aí sim ter uma chance de popularizar o teatro. 60,00 reais uma inteira, não é barato num país onde as pessoas são tão mal remuneradas. Desde quando o "povo" realmente poderá pisar no teatro desta forma? Só quando há eventos da administração pública ou mesmo do empresariado, mas aí ficamos a mercê de discursos demagógicos com fins eleitoreiros e tudo mais. Nada contra também, no entanto, se mudasse essa sistemática toda de cobranças, todos pagaríamos bem mais barato para ver uma peça deste nível e então quem sabe assim levar ao teatro pessoas que não tem tantas posses e popularizar realmente.
É claro que isto é lei, mas, neste país até esse tipo de lei é furada.
Quanto aos convidados, ai sim me revolta pois fica impossível no teatro aqui na minha cidade você conseguir um lugar, mesmo se quisesse pagar o dobro, da quinta fila para frente ou mais até, dependendo da fama do evento.Você paga inteira e fica na bunda do teatro. Mas olhaaaaa, não teve uma peça, show, nada até hoje, que mesmo eu comprando o ingresso antecipado conseguisse sentar da metade para frente. Que coisa hein? Se você for comprar ingressos, dá uma olhada no mapa da platéia, tem reservado pra lá, pra cá, borori e bororó. Como faz para reservar, será, hein? Vou ficar ligada da próxima vez...
E os patrocinadores que querem ingresso de graça? Isso é uma coisa que quem trabalha com a produção conhece. O cara patrocina um pau e quer 10 ingressos..kkkkkk, chega a ser ridículo.
Bem, não quero com isso dizer que achei injusto o valor cobrado para ver tão boa peça eu pagaria até bem mais. Quando se gosta realmente não se mede o bolso e eu já fiz dessa loucuras sem arrependimento algum. Só acho injusto tanta gente abonada se prevalecer para economizar algumas quirelinhas.
E ai? O que acham? É meia ou inteira?
Todo o prazer só é prazer realmente quando ele é por inteiro. É uma analogia meio tosca...hahahaha, mas é a minha.
Larguem de ser mãos-de-vaca, carcamanos, o prazer não tem preço! 60 paus, a metade do valor do sapatinho básico que você compra para bater pernas na rua, madame! Você compra, usa e joga fora. O teatro, as imagens, o prazer, ficam gravados na sua alma para o resto da vida.
Acharam que eu ia contar da peça é? Demora! Isso é só para quem se dá ao prazer de gastar por prazer.
É inteira sim, com prazer! Doce Deleite é um prazer! O teatro é um prazer!

quarta-feira, 29 de abril de 2009

A Melhor Vida

Quantas e quantas vezes dizes que a vida não te corresponde às expectativas e esforços.
Quantas vezes tu tens estabelecido padrões de comparação tão superficiais, que te causam dores desnecessárias.
Por que não te contentam as abençoadas oportunidades que surgem, trazendo-te boas chances de aprender?
Por que julgas ser vítima de injustiças? E por que dependes tuas forças para conquistar bens que nada te acrescentarão?
Por que cansas a alma com tanta freqüência e não consegues estabelecer momentos com Deus?
Podes não acreditar, mas tens a melhor vida e estás no teu melhor momento.
Esta vida traz consigo tudo que a tua alma está capacitada para administrar e todas as lições que já foste capaz de aprender. Estás situado no lugar correto, na família que te é abençoado educandário. Nunca, sequer um dia, esqueceste de que estás de passagem na cena da vida física.
Mas te esqueces da fatalidade da eternidade e desperdiças instantes preciosos que se sucedem pela sabedoria de Deus.
E agora... Agora tu vives o melhor momento.
Não deixes partir de tuas mãos sem glorificar a bondade de Pai e torna-lo coroa de luz na vida. Se não é a que desejas, mesmo assim poderá ser a melhor que tivestes, de que aproveites as abençoadas oportunidades de te tornares melhor.


Eu recomendo este livro de mensagens edificantes que ganhei de presente no Natal da amiga Suzi ;)

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Uma volta no Grant

Fiz um vídeo andando lá pelo Grant, com a idéia de passar exatamente como é o lugar. Sempre falo do meu paraíso, mas, nunca mostrei a coisa na real exatamente.O vento interfero bastante no áudio, mas eu preferi deixar assim com o áudio própria que gravei para que ficasse mais real.
Ai está, divirtam-se!

quinta-feira, 23 de abril de 2009

Não é só macaco que gosta de banana

No domingo a noite, vi que algo movimentava-se na árvore ao lado da sacada e recebi a visita deste simpático gambazinho.
Eu havia colocado uma banana com a intenção de fotografar algum pássaro. Ali é bem comum pousar tirivas e saíras de 7 cores. O dia se foi e eu acabei esquecendo da banana.
No primeiro instante levei um susto e ao acender mais uma luz para melhorar a iluminação, o bichinho se mandou, mas, deu tempo de fazer umas imagens dele.
Não arrisquei a aproximar-me muito para não acabar saindo fedida como um gambá, pois quando sente-se ameaçado por outros animais solta um cheiro terrível, para afugentá-los. Já imaginaram eu tendo que aguentar por dias o cheiro do danado?
Nunca sentiram o cheiro do bichinho? Quando criança eu lembro de termos pego um e minha mãe passou dias lavando nossos cabelos com o que encontrava pela frente para tirar o cheiro...ehehehe.

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Com carinho para os carinhos

Hoje meu post é para retribuir o carinho dos amigos no meu aniversário.
Ele se fez de todas as formas. Através de frases, pensamentos, telefonemas, mensagens, felicitações e presentes.Na verdade esse carinho vem sendo expresso pelos que me cercam há longo tempo e não só por ocasião do meu aniversário, mas, através daquilo que nos é visível ele se materializa.
Por isso fiz uma foto, para encher os olhos, através das coisas lindas, gostosas, perfumadas e deliciosas que ganhei.
Vou passar o ano todo bem perfumada, linda, acolhida e acarinhada, tenham certeza...ehehehe
Juntando as vibrações de amor que todos me enviaram, só me resta agradecer a Deus, tudo isso. Isso também faz eu ser a Mara que sou, as vezes meio impaciente, as vezes um tanto incisiva na expressão, intensa, teatral, barulhenta, mas, acima de tudo, feliz! Feliz por que tenho amigos que me amam e disso eu nunca tive dúvidas.


Como se já não bastasse tudo isso, tive uma surpresa deliciosa na segunda-feira após a Páscoa. Um encomenda chegava pelo correio, da minha querida e doce Ana (SP). O carinho que veio de longe, de forma deliciosa que expressa exatamente o que é o carinho que eu sinto por todos que me cercam.


Aninha!
Comi cada pedacinho desde bolo maravilhoso, não reparti com ninguém, ele foi todo meu e não por egoísmo, simplesmente por que foi feito para mim e cada pedacinho dele foram porções de carinho que eu degluti... heheheh. O ovo, até estou deixando o Mano aqui comer, mas, o bolo foi todo meu.
Obrigada querida, todo aquele carinho que você sempre expressou em suas palavras de boa noite, de bom dia e todas as outras mensagens, materializaram-se através do seu presente doce e delicioso, bem como você realmente é.

A todos os meus amigos que me presentearam com palavras, mensagens, carinhos, videos, cartões, beijos e vibrações, aceitem meu agradecimento com muito carinho, com um beijo enorme em seus corações.
Eu sou muito feliz por ter vocês comigo!

terça-feira, 7 de abril de 2009

Festa Cigana

No dia 04 de abril comemorei o meu aniversário que foi na verdade no dia 03 de abril. Fiz uma festa cigana para os meus amigos com direito a tudo que uma festa dessas pode ter.
Deixo aqui um video em agradecimento aos amigos que compareceram e também para aqueles que tiveram a intenção de ir mas não puderam.
Aqueles que não foram simplesmente entraram no meu caderninho negro...ehehehe...
Tudo bem, tudo bem, só que deixaram de compartilhar comigo toda a energia do momento.

quarta-feira, 1 de abril de 2009

Pensa que é gente



Todos os dias quando acordo, chamo nosso menino para participar do meu café da manhã. Primeiro ele faz a vistoria na casa, tira o travesseiro do Marcus da cama, dá uma espiada pela janela para ver se está tudo em ordem no lado de fora de casa. Depois um pulo bem alto e sente-se o dono da minha cama, ignoro pois ele se encarna com minha almofada e pensa que ela é fêmea. Enquanto faço meu café ele marca o território numa cadeira da cozinha. Já briguei, já enfiei o nariz dentro, já usei produtos anti xixi, não tem jeito. Sento aqui no pc com meu pãozinho e café, ele faz sua parte pedindo um cadinho e ganha. Depois senta no sofá, me olha com olhar apaixonado, fixo, dentro do meu olho. Quando cansa deita e dorme feito a imagem. Deita exatamente como eu deito neste cantinho quando quero tirar minha sonequinha fora de hora. Só falta falar mesmo... O Nino pensa que é gente.

domingo, 29 de março de 2009

Conhecendo as pessoas

Nestes últimos dias a vida me pregou uma peça, fiz um julgamento precipitado de uma pessoa e vi como nós somos envenenados através de pensamentos, de pré conceitos, com uma visão deturpada, onde os olhos enxergam exatamente o contrário.
Num curso que estou fazendo, deparei-me com uma mulher que a primeira vista era tudo o que eu não sou, mas, que talvez eu quisesse ser. Dizem que é assim que a gente enxerga as pessoas.
Fresca demais para o meu gosto, apareceu no curso, onde todos estavam muito simplesmente trajados, vestida feito madame. Eu sempre fui muito simples no dia a dia, deixo as sofisticações para um momento mais solene, hehehehe... Isso fez com que eu torcesse meu nariz e traçasse um perfil desta pessoa totalmente diferente do que ela realmente é.
O papo nos primeiros dias também não ajudou muito para que minha impressão fosse diferente, pois eles denotavam uma certa futilidade com comentários a cerca de coisas materiais que não faziam parte daquele mundo das pessoas ali. Pessoas bem simples, com necessidades, operários e jovens que estão estudando para entrar no mercado de trabalho.
Com o passar do tempo as coisas foram mudando, ela passou a trajar-se como a maioria, passou a conversar com as pessoas, mostrar sua carência afetiva e a luta que tem sido sua vida. Cada coisinha foi ficando visível a cada hora de curso e foi se aproximando de mim.
Ganhei uma amiga, uma pessoa como eu, com fraquezas, simples, nascida num berço privilegiado, mas com uma diferença enorme do meu. A vida havia destruído a harmonia de sua família e a sua história é permeada de infelicidades e tragédias. Mesmo assim não desistiu de lutar por um lugar ao sol e hoje tudo que tem foi a custa de muito esforço.
Sem mais muito a falar, retrato-me e peço perdão pelo julgamento precipitado que fiz e do nariz que torci. A vida acaba de me ensinar que não se aprende nada num dia, que não se conhece uma pessoa por olhar e que não se julga sem conhecer.

quinta-feira, 26 de março de 2009

Parece abandono

Mas não é!
Ando correndo com as coisas por aqui. Fazendo auto escola e encaminhando tudo para voltar a estudar. Além disso eu já havia agendado algumas coisas como exames médicos e dentista, com isso meus dias viraram uma correria.
Tirando a correria está tudo bom demais, tenho me sentido viva e de bem com a vida.
Peço aos amigos com quem sempre compartilhei comunicação mais de perto, desculpas pela quase ausência, mas, realmente o tempo está escasso.
Em breve eu voltarei com um pouco mais de tempo trazendo diversão e altos papos a todos.
Beijos mil!

sexta-feira, 6 de março de 2009

É nóis na fita manoooooo...

Só deu nós na coluna do amigo Zequinha, da Gazeta esta semana.



Carol e Paulo, com certeza grandes companhias na noite que foi muito divertida.


Jota e Rodolfo, duas figuras que abrilhantaram nossa noite. Rodolfo com o gás todo, só de olho comprido na mulherada. E pode né? Pode! Tá com o poder todo! hehehe


Juliana e Claudinha, fazendo festa conosco. Dia 20 com certeza estaremos prestigiando a banda dos meninos. Nos aguardem!


Por acaso a amiga era eu, não é mesmo querido Zeca. Cada coisa que a gente precisa ouvir, hein? A impressão que ficamos é que quem nos faz o favor, são eles...
Jaraguá está crescendo e novas casas estão programadas para a noite. Toda ação tem uma reação, nem sempre tão boa ... Nada como um dia após o outro.

terça-feira, 3 de março de 2009

Largado num bar

Interessante um panfleto encontrado num bar de quinta, numa madrugada, pelo meu filho.
Algumas pessoas aqui disseram ser a letra de uma música, eu realmente não acho a letra estranha, parece que já ouvi em algum lugar, talvez até lido em poema .
Observamos a ortografia, demos risadas, mas, a lição que me trouxe é que acima de todas as observações que pudemos fazer a respeito deste panfleto, é que alguém que estava no boteco estava ou está apaixonado.
Letra de música ou não, para cantar ou até um recadinho daqueles de mesa de bar que a gente eventualmente envia a quem admira.
Quem nunca mandou um recado para alguém de uma mesa de bar? Quem nunca recebeu um recado? Eu já enviei e recebi. Este ficou largado na mesa do bar.
Minha mente não deixa de pensar nos sentimentos e o que rolou nesta mesa de bar.
Acima de tudo me faz ter certeza de que a paixão invade o coração de qualquer um, seja a pessoa menos ou mais letrada. O que vale no fim de tudo é o sentimento.
Abaixo o panfleto e a letra transcrita para que observem também.


Borboletas
Percebo q o tempo já não passa vc diz
Que não tem graça omar assim
Foi tudo tao bonito mas voo pro infinito
Porecido borboletas nu jardin
Agora vc volta e balança o que sentia
Por outro alguém
Sei que estou amando mas ainda não sei quem
Não sei dizer o que mudou mais nada
Esta ingual numa noite estranha a gente
Se estranho e fica mau
Vc tenta provar que tudo en nois moreu
Borboletas senpre volta e o seu jardin
Sou eu
Senpre volta e o seu jardin
Sou eu

Percebo que o tempo já não passa
Você diz que não tem graça amar assim
Foi tudo tão bonito mas voou para o infinito
Parecido borboletas num jardim
Agora você vem e balança
O que eu sentia por outro alguém
Sei que estou amando, mas, ainda não sei quem
Não sei dizer o que mudou
Mas nada está igual
Numa noite estranha a gente se estranhou
E ficou mal
Você tenta provar que tudo em nós morreu
Borboletas sempre voltam
E o seu jardim sou eu.
Sempre voltam e o seu jardim sou eu.

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Antes tarde do que nunca

Havia prometido a algumas pessoas que lêem o blog, um filme daquele fim de semana no paraíso. Foram tantos já e como eu vivo de máquina na mão eu faço fotos e filmes de tudo.
Até pouco tempo meus familiares e amigos contestavam tal coisa, hoje acostumaram-se a ter sempre uma bisbilhoteira atrás deles, louca para pegar um flagra.
Na verdade nem é flagra que quero pegar, eu realmetne me realizo com uma câmera na mão, mesmo que seja de forma amadora.
O que as pessoas não entendem é o prazer que existe por tras disso tudo. Fazer as tomadas nem é tanto assim, mas passar o tempo vendo, editando, criando, me envolve realmente.
O click do fotógrafo sempre acontece antes do click da máquina, ele já vê antes o que quer passar, agora, a era digital nos permite mudar isso e criar outras situações, embora elas já tenham realmente nascido antes de serem editadas.
No fim acabam todos gostando do resultado embora não simpatizem muito com os meios para se chegar a isso...ehehehehe.
Como eu ando meia de saco cheio de orkut e até de msn, preparem-se que vem vindo muita coisa por ai.
Divirtam-se!

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

É nessa que eu vou

Está parecendo chamadinha de carnaval, mas, não é. Para falar a verdade eu não gosto quase nada das músicas de carnaval e talvez por isso eu não faça questão alguma de ir ao carnaval. Faz parte da nossa cultura, acho lindo os desfiles, mas, deu!
Finalmente isso acabou e as atrações nas casa noturnas voltam a sua normalidade.
Por isso que na próxima sexta é para o London Pub que eu vou. O London estará apresentando novamente "Os Chefes" que eu considero uma das melhores bandas aqui do sul, se não for a melhor...
Deixo aqui alumas tomadas que fiz na vez passada, quando lá estive e curti até o fim essa banda com o rock'n roll que eu amo.
Devo dizer também que a casa é tudo de bom. Ambiente climatizado, atendimento de primeira, cerveja sempre gelada, gente bonita e tem como sócio o meu querido amigo Chico Piermann, que já provou em outras épocas que sabe realmente comandar a noite com competência e simpatia.
Já reservei mesa, já convidei amigos, tá faltando você. Então, vem comigo!
;)

domingo, 22 de fevereiro de 2009

Peidei mas não fui eu

Vendo a entrevista do Lobão no Jô, lembrei de umas situações interessantes.
Uma que li num livro harekrisna onde dizia que peidar é uma coisa muito normal na cultura deles. Segundo eles, você não poderia segurar, pois, o peido nada mais é que as toxinas que você tem no organismo e deve livrar-se disso.
Outra é que meu word não reconhece a palavra peido, que filtro idiota...
E a última e mais interessante é que uma vez acompanhando uma banda americana aqui no Brasil, no fim da noite eu dei um arroto gigantesco. Todos me olharam como se eu fosse uma criminosa. Em seguida o produtor da banda no Brasil veio me dizer que arrotar para eles era pior do que peidar. Se você peidar eles acham normal, mas se arrotar é o fim.
Até no orkut tem comunidade: eu peidei, tu peidas, nós peidamos...
Tem coisa melhor que você vir de uma noite de cervejada, poder relaxar e solar um peido? Aliviar-se?
Lembrei do meu vizinho de Floripa, que ao amanhecer soltou um punzão no banheiro e em seguida a mulher gritou: aiiiii..seu porco!!! Ele então respondeu: ahh ta..tens o cú fechado decerto, não peidashhhhhh (isso eu escutei por que estava no meu banheiro e o fosso dos banheiros no prédio funcionava como um megafone).
Não sei por que as pessoas se espantam tanto, afinal todos peidamos, ou você não peida?

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Simplicidade é tudo

Recebi esse texto de uma amiga e achei tudo de bom. Trouxe para vocês rirem comigo...kkkk
Simplicidade é tudo mesmo

Quando tinha 15 anos, esperava um dia ter um namorado... seria bom se fosse
alegre e amigo...

Quando tinha 18 anos, encontrei esse garoto e namoramos; ele era meu amigo,
mas não tinha paixão por mim...
Então percebi que precisava de um homem apaixonado, com vontade de viver,
que se emocionasse...

Na faculdade saía com um cara apaixonado, mas era emocional demais.
Tudo era terrível, era o rei dos problemas, chorava o tempo todo e ameaçava
suicidar-se.
Descobri então, que precisava de um rapaz estável.

Quando tinha 25 anos encontrei um homem bem estável, sabia o que queria da
vida; mas era muito chato: queria sempre as mesmas coisas - dormir no
mesmo lado da cama, feira no sábado e cinema no domingo.

Era totalmente previsível e nunca nada o excitava.A vida tornou-se tão
monótona que decidi que precisava de um homem mais excitante.
Aos 30 encontrei um tudo de bom, brilhante, bonito, falante e excitante, mas
não consegui acompanhá-lo.
Ele ia de um lado para o outro, sem se deter em lugar nenhum.
Fazia coisas impetuosas, paquerava com qualquer uma e me fez sentir tão
miserável quanto feliz.
No começo foi divertido e eletrizante, mas sem futuro.

Decidi buscar um homem com alguma ambição para com ele construir uma vida
segura.
Procurei bastante, incansavelmente...
Quando cheguei nos 35 encontrei um homem inteligente, ambicioso e com os pés
no chão..
Apartamento próprio, casa na praia, carro importado... solteiro e sem
rolos!
Pensei logo em casar com ele..
Mas era tão ambicioso que me trocou por uma herdeira...

Hoje, depois de tudo isso, gosto de homens com pinto duro... E só!
Nada como a simplicidade...


Agora entendi por que eu nem olho mais outras questões como idade e condição financeira que um homem possa ter...ahahaha

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Revolta E Indignação

Como toda mulher de pele clara que chega aos 45 anos, tem umas perebinhas pelo corpo – aqueles sinais que chamam de sinal de beleza – eu ontem resolvi ligar para marcar dermatologista para fazer uma geral. Porém, tive uma surpresa desagradável...
- Alô, bom dia, por favor, a Dra Fabíola atente pela Unimed?
- Sim, atende.
- Eu gostaria de marcar uma consulta, por favor?
- É primeira consulta?
- Sim, primeira consulta.
- Só em novembro, Sra.
- HÃÃÃÃÃ?????? NOVEMBRO?????????
- Sim, Sra, só novembro.
- MEU DEUS!!! OK! MUITO OBRIGADA!
Pego e disco para outra médica.
- Alô querida, bom dia, a Dra Alessandra atende pela Unimed?
- Bom dia, sim ela atende, é primeira consulta?
- Sim, primeira consulta.
- Olha, não temos mais consultas para primeira consulta este ano
- OQUEEEEEEEEEEEEEEEEE??????????MEU DEUS QUE LOUCURA? EU ESTOU OUVINDO DIREITO?
-Sim, Sra, infelizmente a Dra Alessandra só atende meio período e este ano não há mais novas consultas.
- E se eu deixar meu nome para um encaixe, você não me liga, caso alguém desista?
- Não posso fazer isso, pois, quando alguém desiste temos aqueles que já estão em tratamento e precisam também.
- Ah é? E como o meu amigo Zequinha conseguiu consulta na semana passada para retirar uma bega que ele tem no braço? Eu quero ver o que faço com as minhas perebinhas. Tenho 45 anos, nunca precisei de dermatologista e agora gostaria de cuidar disso.
- Olha, Sra, nem eu sei como que a Dra, encaixou o Zequinha, pois a ordem que tenho aqui é de não marcar mais nenhum paciente novo para este ano.
- Que horror, sou obrigada a ir a outra cidade então, por que nesta cidade não temos dermatologistas disponíveis nesse ano?
- Sim é o melhor que a Sra. pode fazer
Bati o telefone na cara da mulher. Mandei tomar no cú, excomunguei, xinguei a mãe, xinguei todos.
Eu não preciso nem dissertar mais a cerca de tudo que me passou pela cabeça, aquelas coisas que todos sabemos. Dos planos de saúde, do sistema de saúde no país, mas, destaco sobre o dinheiro que essas duas médicas devem estar colocando no bolso por que aqui na minha cidade os médicos são uma verdadeira máfia, pois, dificultam de todas as formas a entrada de novos médicos aqui. E falo isso com conhecimento de causa por que tenho uma pessoa na família que em nome da Cassi foi conversar com todos os médicos da cidade e me confidenciou tudo o que acontece. Sem falar do próprio conhecimento que eu tenho dos tempos que trabalhei em órgão vinculado com a secretaria de saúde. Para entrar aqui só muito bem apadrinhado e passar alguns anos ralando no pronto socorro fazendo coisas de todos os tipos independente de especialidade.
Fiquei indignada e senti na pele algo parecido com o que pessoas menos favorecidas financeiramente sentem ao precisar de um especialista.
Imaginem, novembro!!! Em novembro vou lá e todos sabemos que não vou poder fazer isso nessa época pois é preciso se resguardar do sol. Vou passar o verão numa toca?
Pá puta que pariu essa gente, viu?
Estou realmente indignada!! Minha vontade é sair gritando: JARAGUÁ DO SUL, ESSA CIDADE COM A MELHOR QUALIDADE DE VIDA NO PAÍS NÃO TEM MÉDICO SUFICIENTES PARA ATENDER A POPULAÇÃO.
É O FIM DA PICADA!!!!

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Chorar? Pra que chorar?

Tinha me programado para postar outras coisas aqui, mas, meu tempo anda escasso em virtude das trocentas mil coisas que eu resolvi fazer. Então antes de qualquer outra coisa, sinto necessidade de falar sobre algo que me aconteceu há duas semanas para que alguns entendam o que realmente houve.
Saí para curtir a night e lá pelas tantas encontrei um amigo de longa data que me comunicou o fato de ter casado e bla bla bla...
Lá pelas tantas da madruga, já de cabeça cheia eu desatei a chorar.
Sabe aqueles dias que você chora por todas as pitangas do mundo cruel, quando um filme passa na sua cabeça e na verdade nada faz muito sentido, mas, você não consegue segurar as lágrimas que cismam em correr rosto a fora?
Foi o que aconteceu...
Acabei atribuindo isso ao amigo que me pareceu infiel, pela amizade que tínhamos, em não me ter noticiado o casamento. Senti-me um lixo, como quando você se esmera pra dar de tudo, horas de confidências, horas da tua vida cotidiana, de família, das suas coisas por alguém que tanto faz como tanto fez, descartou você da história dele?
Depois do fato, fui conversar com uma pessoa (amada) e entendi que eu separo a minha vida sexual da sentimental. Tenho sexo com quem quero sexo e afeto pelos amigos. Coloquei os amigos no lado "direito" do coração. Assim, quando acontece algo fora daquilo que planejamos, acabamos sentindo-nos atingidos profundamente. Bem diferente do que se fosse apenas um simples amigo...
Nessa história toda, algumas pessoas me viram chorando na noite e ficaram preocupadas com o que pudesse estar acontecendo comigo. A eles eu pergunto: vocês nunca choraram por chorar? Nunca tomaram um porrete e acabaram dentro de si mesmos, fazendo uma análise catastrófica de suas vidas? kkkkkkkk
Ao Dênis, que fazia sinal de longe querendo saber o que acontecia, eu digo: tomei todas meu querido e chorei todas as minhas mágoas.
Ao Régis que questinou eu diria que você ainda não me conhece...hahahaha
Ao Chico, querido Chico, eu admiro você demais, veio prestar auxílio e acho que me entendeu. Deve ter saído pensando: a Mara está muito louca...kkkkkkkk
Ao Zeca que é parceiro, ele me entendeu, tanto é que fez questão de vir no outro dia na minha casa, tomar todas comigo e rir da minha cara...hahahaha
Ao resto que não entendeu ou que imaginou coisas eu to mesmo cagando e andando. Pergunto então novamente: nunca tomaram todas e choraram sem saber por que exatamente? Qual o problema de chorar? A gente não dá risada por tantas coisas? Chorar é apenas mais uma forma de expressar o que estamos sentindo e foi o que eu fiz. Porém, eu não estava triste eu estava desabafando... Tanto é que acordei linda e maravilhosa no outro dia, com vontade de viver como nunca. Desabafei, soltei o grito, esvaziei o peito,fiz uma auto terapia.
Acho que quem entende o que eu fiz gosta de pão com ovo no fim da noite. Meu amigo Zeca chama de "ovus broth" que seria uma flexão de eyes broth em alemão (pão com ovo - nem sei se, escreve-se assim mesmo, mas, dá pra entender né? Quem quiser saber exatamente o que o pão-com-ovo, pode ler no blog da minha amiga Cláudia http://simplesmente-claudia.blogspot.com/2009/02/pao-com-ovo.html
Então, chorei por que quis chorar, que deu vontade ou sei lá o que tudo mais. Longe de mim estar com problemas a ponto de despencar por ai.
Umas cervas a mais ultimamente me deixam assim, com as emoções a flor da pele. Elas podem tanto me fazer chorar ou rir. Simplesmente assim! ;)