segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Na real

Até que ponto pode ir a falsidade de uma pessoa? A ponto de criar coisas que não existem, sem sentido, assim, do nada?
Se as coisas chegam a mim completamente inventadas, fico imaginando como elas vão adiante, sofrendo distorções e no que elas se transformam. Isso me assusta.
A troco do que uma pessoa inventa coisas a seu respeito, sendo que você está quietinha no seu canto, sem contato algum. Se no primeiro dia que você vê, depois de muito tempo, as primeiras palavras proferidas são mentiras?
Aí você fica com aquele sorriso amarelo, quando na verdade deveria contestar imediatamente, porém, você não agüenta mais a pequenisse de certas pessoas e não gasta mais palavras nem tempo, por que sabe que vai virar um engodo sem tamanho e como o mentiroso geralmente é a vítima, você passará por vilão.
Muitas vezes as pessoas tiveram essa visão minha, de ser a vilã das histórias, pela minha postura séria e nada simpática de ver estas coisas. Até séria eu sou bem humorada e mesmo de cara séria eu dou risada por dentro. Como analista que sou de qualquer situação, a primeira idéia do meu perfil é que não gostei da piada. Alto lá, estou analisando e pensando no momento certo de rir. Geralmente sou a última, dizem que quem ri por último ri melhor, não é mesmo?
Dizer que eu estou muito séria? Óbvio, afinal tenho 46 anos, não sou uma porra-louca qualquer e a brincadeira tem limites. Se a maturidade não pode me dar um pouco de seriedade a respeito de certas coisas eu não sei quando adquirirei isso, na senilidade, será?
Esse papo todo de minha parte, é por que tem gente que não faz mais parte do meu meio (por que a vida conduziu assim) e tem o pensamento completamente equivocado a cerca da minha pessoa.
Minha vida nunca foi tão boa, estou cercada de pessoas divertidas, mas que enxergam as coisas com mais seriedade e fazem coisas construtivas. A vida fez com que eu me afastasse dos vampiros de boas energias e aproximasse de mim aquelas que realmente me acrescentam algo.
O tempo das fantasias acabou, helooooowwwwwwww, a vida é real, mentir para si mesmo é o caminho mais certo para a depressão, e deste caminho eu passo bem longe.

2 comentários:

Zeca disse...

dinsoMeu Deus Mara...para com isso...tu tá velha mesmo...velha, resmungona...hahahaha! É por isso que eu não saio mais contigo...hahahaha!
Olha, só tenho que rir...Pois é minha querida, a muito tempo atrás, minha tia falava: "esses tipos de pessoas não servem para sair com vocês..." Na época eu não entendia o que ela queria dizer, mas o tempo vai passando, vamos amadurecendo e começamos a enxergar as coisas como elas verdadeiramente são.
Tu sabes que eu te amo, né? Mesmo "velha" e "ranzinza" do jeito que tu é...hahahaha!
Beijão

Marrod apenas Marrod disse...

Amiga, acredito que devido a você estar mais seletiva os vampiros a achem meio séria demais e fora da moda, mas nada como estar bem consigo mesmo e de bem com a vida e o resto sempre será o resto. No caso tecerem comentários sem conhecer uma pessoa pelo simples fato de não ter o que fazer acaba por ruir qualquer castelo, quem dirá as mentiras desse tipo de pessoa. Porque no final os amigos que rodeiam o tal falador vai ver que ele se contradisse e que estava mesmo era despeito com a exuberância, isso mesmo seja Feliz, de Bem com a Vida, Você pode estar com 46 anos, mas já viveu muita coisa, a empolgação momentanea é pra quem nada sabe da vida.... No fim das contas e no contesto final o que vale mesmo é a EXPERIÊNCIA e da-lhe Maruska. Beijocas