terça-feira, 28 de julho de 2009

VII Stammtisch - Jaraguá do Sul

Antes de fazer qualquer comentário, resolvi trazer uma definição do site oficial da Stammtisch, para quem possa interessar.

O que é a Stammtisch?

O termo stammtisch é formado da junção das palavras stamm, que significa tronco e tisch, que significa mesa. Ou seja, numa tradução fiel "mesa de tronco".
O dicionário Michaelis (alemão/ português), acrescenta dois outros aspectos que procuram explicar o significado do termo: "Stammtisch, mesa cativa de grupo de frequentadores". Desta forma, define um local pré-determinado (mesa cativa) e incorpora, a este local, a presença de um grupo de frequentadores habituais.
Entretanto, além dos aspectos pré-determinantes que envolvem o sentido do termo, para entendê-lo é preciso trazer à luz o espírito reinante neste ambiente. Não é outra a intenção demonstrada numa jocosa definição contida em uma placa pirografada afixada num espaço existente para a reunião destes grupos na Cervejaria Hofbräuhaus, em Munique.
A este respeito, por ocasião da comemoração dos 400 anos desta cervejaria, em 1989, o apresentador do programa especial rodado pela TV alemã ZDF assim traduziu a salada de letras contida nesta placa: "Stammtisch é: Um determinado local, uma determinada mesa, num determinado canto, onde em determinados dias, umas determinadas pessoas, num determinado horário, tomam assento em determinadas cadeiras. Ali, com uma determinada quantidade de uma determinada bebida, falam sobre alguns determinados temas, e então numa determinada hora, com um determinado porre, determinam ir para casa onde uma determinada pessoa espera, com certeza, com um determinado protesto".
E conclui o apresentador da ZDF: "Isto está determinadamente certo".
Uma versão mais romântica do que significa stammtisch, passada geração após geração pela tradição oral, conta que o termo começou a ser usado na Idade Média. Os lenhadores bávaros, ao cortar a primeira árvore de uma nova área de extração de madeiras, faziam-no à altura de uma mesa e, de seus galhos mais grossos, cortavam toletes que lhes serviriam de bancos. Era ao redor desta mesa improvisada que faziam suas refeições e, ao final do trabalho diário, ali se reuniam para bater papo, planejar o dia seguinte e bebericar do vinho que traziam em seus alforjes. O seu tronco comum (stamm), era a sua própria profissão ou atividade (lenhadores) e o espírito reinante ao final de cada jornada de trabalho, ao redor daquela improvisada mesa (tisch), forjada no tronco da árvore, não era outro que relaxar, jogar conversas ao léu, cultivar a amizade, celebrar a vida.
Segundo esta versão, o hábito daqueles lenhadores ganhou as tabernas, nas cidades, e nestes ambientes, teria se perpetuado o nome stammtisch para todos aqueles que, habitualmente, as freqüentavam e costumavam, na companhia de amigos, sentar-se numa mesma mesa previamente reservada ou que lhes era cativa. Mais tarde, o nome acabou identificando aqueles que, além da amizade, detinham outros aspectos comuns, o mesmo local de trabalho, uma determinada atividade cultural, social ou política, etecetera (mesmo tronco, mesmas raízes), que justificasse o fato de se encontrarem, ao redor de uma mesma mesa, uma mesa cativa.
Foi ali, no ambiente das tabernas que os grupos se deixaram envolver por outra bebida além do vinho, a cerveja, na maioria dos casos, como ainda hoje, era produzida nestes próprios estabelecimentos ou na cidade aonde se localizavam.
Certa, errada ou meramente especulativa, esta versão é a que, sem sombra de dúvida, mais se encaixa com o jeito de ser dos stammtische espalhados pela Alemanha, Áustria, Suíça, Dinamarca e em outros países sob influência tedesca, bem como aqui no Brasil, nas cidades colonizadas por descendentes destes países.
Luiz Eduardo Caminha
Fonte: Site Oficial da Stammtisch
http://www.stmt.com.br/oqueeisso.htm

Depois disso nem sobra mais muito a comentar a não ser que me diverti muito com o pessoal da Sede. O vídeo dispensa comentários

terça-feira, 21 de julho de 2009

Não tenho estômago de avestruz

Sábado, 11 de julho de 2009, estávamos todos aqui em casa tomando uma gelada e ninguém com muita vontade de cozinhar, nem assar nada. Acabamos pedindo uma lasanha numa casa “bem conceituada” aqui da city, especialista em pizzas, mas, que também serve outras massas.
Chegou a tal lasanha... a pior que já comi na minha vida. Cheia de molho de tomate, extremamente salgada e com algumas bolinhas de carne boiando no molho, já que era à bolonhesa. Quer dizer, ela tinha este nome, mas, era apenas de um molho vermelho, salgadérrimo e extremamente ácido. Devia ter uma folha de massa no meio, boiando no meio de tanto molho.
Fiquei aqui pensando se essa gente pensa, que temos estômago de avestruz, sim, avestruz engole tudo e nem sente o gosto.
Estou comentando isso agora, por que ontem tirei o dia para fazer lasanha. Comprei ingredientes e embalagens, para deixar várias lasanhas prontas e congeladas. Assim, quando bater aquela vontade de comer algo gostoso e a preguiça não permitir que se faça, eu simplesmente tiro uma do freezer e asso.
Até as lasanhas industrializadas são gostosas e bem servidas. Óbvio que todo produto industrializado que é vendido no mercado, custa mais caro, tem conservantes e outros aditivos químicos. É tipo do rango de última hora, de improviso, não se pode consumir frequentemente, eu tomo este cuidado.
De uma coisa eu tenho certeza, nunca mais eu pedirei lasanha naquela pizzaria e assim que tiver oportunidade eu vou dizer: escuta aqui, como é que vocês conseguem fazer algo tão ruim? Ahhh vou mesmo, do jeito que eu sou, sou bem capaz de presenteá-los com uma das minhas lasanhas e dizer: isso aqui é uma lasanha. Aquilo que vocês servem é lavagem.

domingo, 19 de julho de 2009

Dazaranha no London

Há anos eu vejo esta banda e cada vez melhor. Ainda lembro das primeiras apresentações tímidas em Floripa, depois aqui em Jaraguá mesmo, do tempo em que faziam apresentações de capoeira no palco.
O que me impressiona realmente é a empatia que existe entre a banda e o povo.
Depois de acompanhar muitos shows, até por ter trabalhado em produção, vi muitas vezes o povo esperar uma banda, mas, ao fim de duas ou tres músicas, já se espalhar, nem prestar muita atenção, por que eles estão ali mais para beber e namorar. Isso não acontece quando o Daza chega. A galera não arreda o pé, canta sem parar e é fidelíssima a banda.
Ontem fui vê-los no London Pub, do nosso querido Chico Piermann e, curti cada momentinho. Acompanhada do meu fiel amigo Zequinha, curtimos demais a galera do Daza.



A energia do momento foi uma coisa fora do normal. O povo foi chegando e foi ficando, realmente não arredava o pé, queria curtir. A ida ao banheiro, no lugar apinhado de gente era uma verdadeira incursão esfregatícia... hahahha. Um tal de rossar e encoxar que não tinha fim. Era seguir em frente sem dar muita atenção ao que podia rolar.Com meu amigo Zeca abrindo caminho a coisa ficou mais fácil. Meu bem, meu bem, pode ir pra frente que eu to indo também...
O povo fica com aquela cara não muito simpática, achando que você está louco para roubar seu lugar... hahaha... é muito engraçado, fazem cara feia, ficam duros feito muralhas, viram de bunda para não correrem o risco de ceder a um olhar pedichão, querendo passar... Eu particularmente odeio esse sufoco, mas, pelo Daza, valeu, valeu cada encoxada que eu levei na travessia.
O ângulo do filme não ficou lá aquelas coisas, mas, dá para ter noção do que foi a noite.O conforto foi quase impossível, mas, com os amigos e a cerveja geladinha supera-se qualquer situação.

video

Eu Protesto!!

Gostaria de entender o que passa na cabeça de alguns amigos meus que eu sigo aqui no Blog. Eles querem que eu os siga, no entanto eles não me seguem.
Vejo Blogs por ai cheio de seguidores. Eu sei que as pessoas pouco comentam ou quase nada, isso é normal, eu leio muita coisa por ai também, mas não comento. Porém na internet é de bom tom, retribuir essa parceria. Como na vida real, eu lavo sua mão,você lava a minha, certo?
Isso já está ficando como a lista de amigos do orkut. Tem 500 amigos porém, ativos tem 5.
Daqui para frente não vou mais seguir quem não me segue... hahahaha, não vou mais comentar com quem não comenta.
Qual é?

PS: Este comentário não se refere aos meus queridos amigos postantes deste blog.
;)

quinta-feira, 16 de julho de 2009

Tatu recheado

Hoje vou aproveitando meu espaço para postar uma receita minha que faz muito sucesso aqui em casa. Não é difícil de fazer, dá sim um pouco de trabalho mas é um prato que pode inclusive ser comido frio, com pães.



Ingredientes

1 peça de tatu (posta branca) inteira - 1500 kg, 2 cebolas brancas médias, 1 pimentão vermelho, 4 ovos cozidos, 4 dentes de alho , 2 tomates, 3 colheres de (sopa) de óleo, 2 limões, sal e pimenta a gosto.



1 dia antes de assar1º - corte a peça ao meio em partes iguais. Faça um corte com uma faca bem afiada até o fundo da peça mas sem deixar que ela abra no fundo. Tempere com sal e pimenta, esfregando com as mãos uma camada fina na carne toda, por dentro e por fora.




2º - recheie a carne com os ovos cozido inteiros e a cebola, o pimentão e o tomate picado. Colo que dois dentes de alho em cada parte. Feche com palitos ou como nesse caso aqui fechei com ganchos de específicos para assados. Coloque num recipiente e cubra com molho dos limões e o restante dos ingredientes picados. Guarde na geladeira até o outro dia quando for fazer

3º - no outro dia, leve ao fogo, só a carne, numa panela com o óleo no fundo e vá dourando e virando sempre para que fique bem marronzinha. Tenha paciência e deixe fritando por umas 2 horas, sempre regando com um pouco de água para não secar.




4º - Quando estiver bem marronzinha junte o tomate e cebola restantes e deixe dourando tudo, refogando como um assado de panela qualquer até que dissolva bem os temperos. Quando esses tiverem formado um molho acrescente 2 copos de água e deixe cozinhando por mais algumas horas em foto baixo, sempre acrescentando um pouco mais de água sempre que necessário.

5º - Desligue e retire da panela, corte em fatias perto da hora de servir. Pode-se colocar as fatias dentro da panela com cuidado para não quebrar e deixar no molho aguardando a hora de servir, dando então uma esquentada de leve.




Obs: Este é um prato que o ideal é servir bem quente no inverno mas no verão pode ser servido quase frio guarnecido de pêssegos e outras frutas em calda. É um prato que deve ser feito com muita paciência e o sabor dele se acentua quanto mais cozinhar. Mesmo por que a posta branca é uma carne dura e requer bastante cozimento mas jamais em panela de pressão.

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Pó Pará!!

Alguém sabe me dizer como faz para deletar a merda do netlog?
No ano passado andei trocando umas mensagens com uma amiga, num espaço que ela fez. Acabei aderindo a isso e agora to me ferrando. Não consigo de jeito algum me desvincular desse treco. Cada vez que vou deletar, ele faz mil perguntas e é preciso fazer mil coisas para sair dele. Dentre tudo, é preciso justificar o “por que” quer sair disso e a coisa não tem fim.Faço tudo conforme é pedido e quando acho que estou livre, lá vem um pedido de adesão novamente e é sempre de homens nada a ver comigo. Com propostas absurdas e perfis que, dê-me paciência Senhor!
Hoje deparei-me com um pedido, que eu tive que rir. Um homem de 63 cujos hobbies do perfil eram: fandango, trago e mulher. Com uma observação: ( Hoje concentrando 98% no último item). Kkkkkkkkkkk...só por Deus! Véio fodedor?
Uma foto pescando a beira de uma lagoa, de calça de tergal, camisa de gola e sapato social...kkkkkkkkk, tudo a ver comigo, né? Hahahahahahahaa.
Uma pessoa que põe como hobby o “trago”, deve ser dos bons. Deus me livre passar tudo o que eu já passei na vida por conta do alcool!
Fandango? Cruzis! Jesus, Maria, José e o presépio inteiro, como diz meu amigo Ivair...
Eu sou uma mulher de 46 mas com muita vitalidade, muita pressão, tenho “fogo nas ventas” e não preciso de um outro pai. Nada contra, não é preconceito, mas, com certeza não é para mim. Tenho preferência por homens mais novos que eu e isso, já ficou praticamente definido na minha vida, através de todos os homens com quem me relacionei nestes últimos 18 anos. Tá certo que as vezes eu tenho a impressão que nasci muito cedo, mas, isso não impede que mesmo num corpitcho de 46 eu me molde aos lindos mancebos que passam por minha vida.
Talvez um dia, quando eu estiver bem velhinha, sentada numa cadeira de balanço, fazendo crochê eu adote um véio para eu cuidar, mas, por enquanto, to fora!
Nunca se sabe da vida, eu posso pagar amanhã pelo que estou dizendo, mas, tenho exemplo na minha família que é triste e não quero este fim para mim, de jeito algum.
Deixando a questão de idade de lado, outra coisa que pegou foram os perfis de mulheres que haviam no perfil do dito cujo: bibinhafaceira – marazinha21 - eucarinhosa22 – neuzinhalobinha - charmosa/blu ... só mulheres e todas por volta dos 20 anos.
Eu hein? Sai fora véio assanhado!
Enfim, se alguém souber como deleta esse tal de Netlog, me dê um help, ok?

domingo, 5 de julho de 2009

Um vídeo para cegos?

Longe de querer fazer piada com nossos amigos deficientes visuais, mas, como disse o amigo Zequinha, este é um vídeo para cegos, ou seja, é só para ouvir...kkkkkkkkk

Então, ligue o som e curta conosco... hehehehe
Com vocês: os Chefes em noite de ALEGRIAAAAAAAA!!!

video