domingo, 29 de março de 2009

Conhecendo as pessoas

Nestes últimos dias a vida me pregou uma peça, fiz um julgamento precipitado de uma pessoa e vi como nós somos envenenados através de pensamentos, de pré conceitos, com uma visão deturpada, onde os olhos enxergam exatamente o contrário.
Num curso que estou fazendo, deparei-me com uma mulher que a primeira vista era tudo o que eu não sou, mas, que talvez eu quisesse ser. Dizem que é assim que a gente enxerga as pessoas.
Fresca demais para o meu gosto, apareceu no curso, onde todos estavam muito simplesmente trajados, vestida feito madame. Eu sempre fui muito simples no dia a dia, deixo as sofisticações para um momento mais solene, hehehehe... Isso fez com que eu torcesse meu nariz e traçasse um perfil desta pessoa totalmente diferente do que ela realmente é.
O papo nos primeiros dias também não ajudou muito para que minha impressão fosse diferente, pois eles denotavam uma certa futilidade com comentários a cerca de coisas materiais que não faziam parte daquele mundo das pessoas ali. Pessoas bem simples, com necessidades, operários e jovens que estão estudando para entrar no mercado de trabalho.
Com o passar do tempo as coisas foram mudando, ela passou a trajar-se como a maioria, passou a conversar com as pessoas, mostrar sua carência afetiva e a luta que tem sido sua vida. Cada coisinha foi ficando visível a cada hora de curso e foi se aproximando de mim.
Ganhei uma amiga, uma pessoa como eu, com fraquezas, simples, nascida num berço privilegiado, mas com uma diferença enorme do meu. A vida havia destruído a harmonia de sua família e a sua história é permeada de infelicidades e tragédias. Mesmo assim não desistiu de lutar por um lugar ao sol e hoje tudo que tem foi a custa de muito esforço.
Sem mais muito a falar, retrato-me e peço perdão pelo julgamento precipitado que fiz e do nariz que torci. A vida acaba de me ensinar que não se aprende nada num dia, que não se conhece uma pessoa por olhar e que não se julga sem conhecer.

2 comentários:

Marrod apenas Marrod disse...

Bom minha amiga, eu também já fiz meus julgamentos e também já fui julgado pela minha maneira de ser e de estar mas aprendi uma coisa nisso tudo, aceitar as pessoas como elas são e sem cobranças, se der pra ser amigo, tudo bem? se não der, fazer o que? Sigo o meu caminho. Todos nós somos passiveis de erros e de pré julgamentos que depois vem de agua abaixo. O que importa é que você se deu conta que não tem nada a ver - Beijos

MarcosABeltramini disse...

Ola Querida!Espero que se encontre cada vez melhor! "Julgamentos" realmente todos passamos por isso! Sabemos bem né! Um beijo e...saudades viu!
Marcos
http://osegredodaalma.blogspot.com/