quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Cheiro de infância

Sempre que viajo e vejo uma imagem dessas, com rancho, criação de animais, uma casa em estilo europeu, lembro da minha infância. Lembro do meu avô trazendo um saco de casquinhas de sorvete que ele buscava na Duas Rodas para nós crianças,a netareda, sairmos brincando e comendo as casquinhas. O velho rancho tinha uma vaca, as vezes um bezerro e alguns porcos.Uma máquina grande de cortar o trato onde eu e meus primos nos divertíamos, cortando o trato e pulando por cima dela. Tinha também um grande quadrado de madeira onde se estocava o milho, onde nos refestelávamos e nos esparramávamos entre o milho. Brincávamos de esconder pelo rancho todo que era enorme para nós crianças. Cheios de ferramentas e coisas usadas na roça pelos meus avós. O galinheiro ficava do outro lado, com galinhas, patos e marrecos. Ali não podíamos chegar perto, as galinhas estavam colocando ovos. Havia um grande pasto cheio de goiabeiras onde na época dos frutos fazíamos guerra de goiaba podre. Nossa diversão predileta era a noite com lanternas nas mãos, brincar de polícia e ladrão. Voltávamos para dentro de casa fedendo de goiaba podre. Comíamos as goiabas também e com certeza comemos muito bicho de goiaba sem perceber. Todos os anos perto da páscoa os pés de tangerinas ficavam carregados e eu sempre ficava doente de tanto comer tangerina verde. São lembranças deliciosas da minha infância, lembranças de pé no chão, pés imundos que não tinha escova que desse jeito. Lembranças de canelas arrebentadas e furadas de tanto correr pelas roças cheias de sepos e paus.Coisas que as crianças de hoje não conhecem mais. Meus filhos ainda puderam viver um tanto disso, já meus netos não terão mais essa oportunidade uma vez que o velho rancho, o pasto e a roça já não existem mais.ons Bons tempos!

2 comentários:

clovis disse...

Recordar é viver.

Mara disse...

É isso ai primo!